30 de out de 2009

A sombra da árvore do crime



Uma árvore nasceu bem no meio no meio de uma comunidade. No início ninguém se importou muito, pois a árvore não incomodava. Com o passar do tempo, a árvore cresceu e seus galhos começaram a fazer uma sombra enorme sobre as casas. As pessoas queriam tomar um banho de sol ou secar suas roupas no varal e não conseguiam por causa da sombra.


A comunidade começou a reclamar. No ônibus, no mercado, no salão, nos bares e clubes só se falava da maldita sombra que perturbava a todos. Alguns grupos organizados passaram a cobrar das autoridades uma providencia, até que a situação se tornou insustentável. Passou até na televisão.


Finalmente, houve uma reunião e as autoridades decidiram enviar uma equipe para acabar com o problema. Essa equipe munida de tesouras enormes, começou a cortar os gravetos que estavam mais salientes, aqueles galhos mais finos que ficavam na parte mais externa da árvore. Não demorou muito e o “problema estava resolvido” O sol agora brilhava sobre os telhados das casas e o povo estava feliz, ninguém mais pensava na árvore. Até que em outra primavera novos gravetos cresceram e a sombra voltou a aterrorizar a sociedade.


É exatamente dessa forma que nossa sociedade combate o crime, a violência e a insegurança. A árvore do crime está bem no meio da sociedade, suas raízes são profundas e seus tentáculos estão instalados nos poderes executivo, legislativo e no judiciário. Está na polícia, nas organizações sociais e nas entidades religiosas.
O tronco dessa árvore é rico em corrupção, sonegação, estelionato, tortura e hipocrisia.


Quando a situação se torna crítica e a comunidade exige uma postura das autoridades, a polícia é enviada com seus fuzis para furar o crânio daqueles negrinhos que ficam vendendo sua balinha de maconha nas esquinas das ruas (os gravetos). Enquanto isso, ss galhos mais grossos protegem o caule. A hipocrisia somada a corrupção, impedem que a raiz da planta seja atingida. O pior disso tudo é que nós, comunidade ficamos felizes quando os exterminadores se apresentam com seu arsenal da morte. Somos incapazes de perceber que eles fazem parte do tronco e jamais irão combater a raiz do problema.


No final, muitas famílias chorarão seus óbitos, outras festejarão a falsa sensação de paz, enquanto novos pivetes são alimentados e fortalecidos com o próprio fruto da maldita árvore.

Ricardo Andrade
Jornal Folha Popular
Campanha Reaja
Movimento Negro Unificado

26 de out de 2009

Audiência Pública debate Igualdade Racial em Campinas


Evento: Master Crews 2009 é a Dança de Rua em destaque

26/10/2009 13:04

Um dos maiores eventos de Breaking da América Latina, o Master Crews, que acontece anualmente, já tem as suas datas definidas. O evento traz semrpre as melhores Crews e as melhores batalhas, as empolgantes Cyphers (Rodas), artistas de diversas áreas para intercâmbio, workshops, estandes, muita música, dança e celebração. Confira as datas:

- Dia 19/12 (sábado): Primeira fase da competição; Competição individual "Burn Breaking" (8 convidados); Workshops de Breaking, Rocking, Popping e Locking; Mesa de Debates; Aniversário da Street Breakers Crew, 20 anos.

- Dia 20/12 (domingo): Competição Master Crews (demais fases e grande final); Tradicional disputa de Freestyle; Estandes de produtos culturais; Competição individual “Burn Locking” (8 convidados); Competição individual “Burn Popping” (8 convidados); Exposição “Boom Boxers”.

As inscrições para participação no evento já estão abertas e será feita somente através de vídeos postados na Internet, em sites como o Youtube, Vimeo e Rapidshare.

[+] Para detalhes e maiores informações, acesse o website oficial do evento

21 de out de 2009

Ferrez vem a Sorocaba e participa da Expo Literaria na Biblioteca Infantil neste dia 23

Ferréz fala de literatura e periferia na Caros Amigos


"Ferréz tem 33 anos, é escritor, comerciante e autêntico representante dos sentimentos e das lutas da imensa população que vive na periferia de São Paulo. Ficou conhecido porque expressa com realismo a dureza das relações entre povo e Estado, entre pobres e ricos, entre as precárias condições de vida nas favelas e a repressão policial. Em entrevista exclusiva para Caros Amigos ele conta como o processo de criminalização da população pobre da periferia tem contribuído para acumular ódio e faz um alerta: Vai chegar um dia que uma agressão a um menino ou a uma menina vai virar uma revolução em São Paulo inteira. Fala também de sua vida e de seu amor pela literatura."


[+] Leia trecho da entrevista com Ferréz no site da revista Caros Amigos
[+] Leia a Revista Central - Especial Leitura

13 de out de 2009

Novo som do Dexter - Como Vai Seu Mundo?



Concorda comigo?


"Sim, eu sou importante. Tenho direito de ter tudo o que quero, preciso ser feliz. Para ser feliz preciso ter. Não quero saber das palavras daquele tiozinho lá em Eclesiastes. "Vaidade de vaidades, tudo é vaidade". Quem são as pessoas que entendem isso? Eu quero algo que me destaque, algo além do conforto, algo bem mais que justiça social. Justiça social? Que conversa é essa? Justiça social me aproxima da ideia de igualdade. Então eu te pergunto irmão: Você quer mesmo ser igual? Pensa bem irmão, imagine todos com um som bem loco num carrão, um monte de mina pagando um pau, imagine o sorriso dos vencedores. Se ligou no castelo? Que maravilha! Mas espera um pouco, mesmo assim eu não estaria satisfeito. Não mesmo, é necessário que haja perdedores para a glória do vencedor, não é difícil constatar esse fato né? Eu não quero perder. Que tudo que represente a derrota se afaste de mim, a exploração do povo brasileiro, o trabalho escravo, o racismo, a fome, as catástrofes, a corrupção e as guerras que dizimam nações africanas e outras coisas desse tipo. Eu não vou mudar esse mundo. Você vai irmão?


Não seja hipócrita, todos vivem como se protagonizassem um videoclipe, somos o centro de tudo. Qualquer ação nossa é a melhor ação, se as consequências provarem o contrário, a gente culpa o outro. Quem é o outro? Aquele que te impede de ser feliz. Aquele derrotado. Você precisa ser feliz... Concorda comigo? Se concorda, a partir de hoje pense apenas em você. Pare com esse papo de ética e respeito. Melhor, finja ter ética e respeito, assim as coisa andam. Se não andarem... Já sabe né? Algum perdedor apareceu pra estragar seus planos. Mas quem quer ser um derrotado? Dane-se, se a gente se aprofundar muito, pode não gostar de algumas respostas. Falar sobre certos assuntos não resolve nada. Não falar também não resolve, mas não se preocupe, deixe as coisas se resolverem. Concorda comigo? Se concorda, seja feliz no meu universo. Se acredita que algo pode ser diferente, se acredita na justiça, na igualdade e no valor das coisas simples da vida, ouça o novo som do Dexter e pense em como vai seu mundo. Dependendo da sua escolha, a gente se vê no futuro."

Hino à Negritude aprovado pela Câmara dos Deputados




Um dia depois da votação do Estatuto da Igualdade Racial, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou dia 10/09/2009 e oficializou a proposta, em todo o país, o “Hino à Negritude”, composto pelo poeta e professor negro Eduardo de Oliveira.

O texto aprovado pelos deputados exclui a obrigatoriedade de o cântico ser executado em todas as solenidades relacionadas ao movimento negro. O relator, Gonzaga Patriota (PSB-PE), alterou o projeto de lei do deputado Vicentinho (PT-SP) por entender que não era possível tornar obrigatória a execução da música.

Na justificativa da proposta, Vicentinho diz que o projeto tem como objetivo favorecer o reconhecimento da trajetória do negro na formação da sociedade brasileira. “Não temos ainda símbolos que enalteçam e registrem este sentimento de fraternidade entre as diversas etnias que compõem a base da população brasileira”, afirma.

A proposição segue agora para o Senado após ter sido aprovada em caráter conclusivo, ou seja, sem a necessidade de passar pelo Plenário.

O hino foi composto em 1942 pelo professor Eduardo Ferreira de Oliveira, autor de músicas e livros sobre questões raciais. A música só foi registrada na Escola Nacional de Música, da Universidade do Brasil, em 1966, como Hino 13 de Maio. O cântico já foi oficializado em São Paulo graças à Lei 14.472, de 2007, que prevê que ele seja cantado em “todas as solenidades que envolvam a raça negra”.


Conheça a letra do Hino à Negritude

Hino à Negritude (Cântico à Africanidade Brasileira)

I
Sob o céu cor de anil das Américas
Hoje se ergue um soberbo perfil
É uma imagem de luz
Que em verdade traduz
A história do negro no Brasil
Este povo em passadas intrépidas
Entre os povos valentes se impôs
Com a fúria dos leões
Rebentando grilhões
Aos tiranos se contrapôs
Ergue a tocha no alto da glória
Quem, herói, nos combates, se fez
Pois que as páginas da História
São galardões aos negros de altivez

II
Levantado no topo dos séculos
Mil batalhas viris sustentou
Este povo imortal
Que não encontra rival
Na trilha que o amor lhe destinou
Belo e forte na tez cor de ébano
Só lutando se sente feliz
Brasileiro de escol
Luta de sol a sol
Para o bem de nosso país
Ergue a tocha no alto da glória
Quem, herói, nos combates, se fez
Pois que as páginas da História
São galardões aos negros de altivez

III
Dos Palmares os feitos históricos
São exemplos da eterna lição
Que no solo Tupi
Nos legara Zumbi
Sonhando com a libertação
Sendo filho também da Mãe-África
Arunda dos deuses da paz
No Brasil, este Axé
Que nos mantém de pé
Vem da força dos Orixás
Ergue a tocha no alto da glória
Quem, herói, nos combates, se fez
Pois que as páginas da História
São galardões aos negros de altivez

IV
Que saibamos guardar estes símbolos
De um passado de heróico labor
Todos numa só voz
Bradam nossos avós
Viver é lutar com destemor
Para frente marchemos impávidos
Que a vitória nos há de sorrir
Cidadãs, cidadãos
Somos todos irmãos
Conquistando o melhor por vir
Ergue a tocha no alto da glória
Quem, herói, nos combates, se fez
Pois que as páginas da História
São galardões aos negros de altivez
(bis)


9 de out de 2009

Amaral aparece com letra de uma música dos Racionais tatuada na perna

'A letra da música me chamou a atenção', diz o volante

Foto: Rodrigo Berbigier/GLOBOESPORTE.COM

Amaral se reapresentou nesta terça-feira no Vasco-Barra com um visual diferente. Em boa parte da sua perna esquerda, o volante tatuou o trecho de Negro Drama, uma das mais famosas músicas dos Racionais MC´s, um grupo de Rap de São Paulo. “Fiz na semana passada. Gosto muito dos Racionais e a letra da música me chamou a atenção”, disse.


Fonte:
globoesporte.com

GOG faz música junto com fãs pelo twitter


Sempre atento às novidades na produção cultural, o rapper GOG lançou ontem "Música e Liberdade", letra que teve a colaboração dos twitters na composição. A lista completa das frases selecionadas para a letra estão no seu site oficial. O som, fala da liberdade da música na internet ou o "gratwitar a música". Ao todo foram selecionadas 64 frases, de todos os cantos do Brasil. O processo de reunir as durou mais de 14 horas e foi feito em parceria com o músico Marcelo Mira. GOG lança agora outro desafio aos seguidores no twitter: um clipe colaborativo para o som. Confira um trecho da letra abaixo:


"Tenha sempre em mente pensamento de paz e simplicidade
Sonhar com as mãos é mudar a realidade
Rimando Palmares, cantar espanta todos os males, nossos versos criaram asas
Sonoridade perfeita, acorde! Os acordes são uma sonoridade perfeita.
Somos exemplo e o povo se espelha nos que tem talento
Não confunda liberdade com libertinagem
Tem que ser direto, sem maquiagem
Falo da vida, falo do muro, a união de vários manos conscientes
Por liberdade agrária, justiça carcerária, com o quebrar das correntes não tem algemas
As notas e os tons nos fazem viajar
Solta a batida, moeda de troca pra libertar
De toda dor, abra as portas do som
Cante, dance, seja feliz por um instante
Tenho mil razões para cantar, a rima foi o que eu quis pra mim
Se toda a liberdade fosse música de amor, não haveria mais temor
Som muito louco feito aqui, mandar a idéia esta é a lei

Me prendo aos meus princípios pra poder me libertar
Quero vi - ver como o verso que soletra / l.i.v.r.e. / manifesto do poeta
Da rima a arte, montando o todo por partes...
Que o som lubrifique tua alma!"


[+] Acompanhe o processo de produção do GOG pelo twitter
[+] Acesse o site oficial do artista
[+] Leia a letra completa

3 de out de 2009

MV Bill estreia como ator em 'Sonhos roubados', filme sobre meninas e tráfico de drogas no Rio




RIO - A previsão de filmagem para as cenas de MV Bill em "Sonhos roubados", novo filme de Sandra Werneck - que estreia esta quarta-feira no Festival do Rio -, era de quatro dias, mas o rapper e ator estreante deu conta do recado em apenas dois. Elogiado pela diretora e entusiasmado com a nova empreitada, o músico conversou com o site do GLOBO sobre a experiência e a história retratada no filme. Trata-se de jovens adolescentes que vivem a dura realidade da periferia carioca, como falta de oportunidade, famílias desorganizadas, gravidez precoce e violência doméstica.


Bill recebeu diretamente da diretora o convite para o teste que o credenciaria a interpretar Ricardo, um presidiário que se envolve com uma das três jovens protagonistas. Aprovado, o estreante passou por uma preparação com os atores e irmãos Ricardo e Rogério Blat, além de ter participado anteriormente de aulas dadas por Lázaro Ramos na Central Única das Favelas, entidade da qual é um dos fundadores.


- Eu sabia que ele entendia muito sobre o universo retratado no filme. Quando o convidei para uma conversa na minha produtora, veio o estalo e perguntei: 'Já passou pela sua cabeça ser ator?'. Ele topou fazer o teste e foi muito bem. Posso dizer que o trabalho dele contribuiu muito com o filme - contou Sandra, que diz ser mais fácil dirigir atores crus como Bill, que não trazem "tantos vestígios de outros personagens".


Como as experiências anteriores com interpretação vinham só de seus clipes, "Sonhos roubados" foi a prova de fogo de MV Bill. Ele optou por imaginar uma história de vida para seu personagem, coadjuvante no enredo do longa. Ao criar para Ricardo uma trajetória, supondo, por exemplo, os motivos que o levaram à prisão, Bill acredita que conseguiu compor melhor sua interpretação:


- Isso me ajudou a formar a imagem dele, pois no filme só é mostrado o presidiário que recebe a visita da personagem da Nanda Costa e se apaixona por ela. Imaginar mais sobre ele foi muito importante - disse Bill, que afirma ter sido despertado para outra aptidão: a direção.



Seu último videoclipe, da música "O bonde não para", já levou sua assinatura, e o contato com Sandra em "Sonhos" só fez aumentar o desejo de trabalhar também por trás das câmeras e "poder mexer com a imaginação das pessoas". Sobre a temática representada no filme, da qual o cantor é íntimo, ele aponta a gravidez precoce como o maior dos males e elogia a coragem das três atrizes principais - Nanda Costa (Jéssica), Amanda Diniz (Daiane) e Kika Farias (Sabrina):


- As mulheres sofrem duas vezes mais do que os homens no tráfico de drogas. O livro que escrevi com Celso Athayde, "Falcão - mulheres e o tráfico", fez com que visse isso de perto. Elas ficam relegadas a papéis periféricos dentro do crime, como pequenos favores, muitas vezes até sexuais.


Sandra afirma que o diferencial de seu filme é trazer para o cinema uma nova ótica - feminina - sobre essa realidade.


- O lado das meninas é pouco explorado. "Cidade de Deus" e "Tropa de elite", por exemplo, mostra o ponto de vista dos homens. E as mulheres, onde estavam nessa história? Mostro no filme uma realidade dura, mas que tem generosidade, amizade, cumplicidade e o sentimento de comunidade - completa.


'Sonhos roubados'.Qua, 30: Odeon Petrobras: 21h45m [OD030]. Qui, 1: Odeon Petrobras: 13h [OD031]. Sex, 2: Estação Vivo Gávea 3: 15h40m [GV337] e 22h10m [GV340].


Fonte:
O Globo