7 de dez de 2011

Depois de muita luta, Família Pic Favela organiza sua 3ª Festa Anual de Natal




ZeroQuinze - O prefixo da rua: 11 DEZ - FESTIVAL 02 ANOS ZEROQUINZE

Festival 02 Anos ZeroQuinze
Shows com;
Eumesmo Angelo e Banda Polanski
X4 HipHopX da Questão
Multiplosom
Zap San
Banda Leksapro - Itapetininga - SP
Visel Mc - Tatui - SP
Vivant
Tosskera - Vinhedo - SPMarcio BrownElephant ClubSenoma - SP
e mais shows a serem confirmados. acompanhe atualizações

Djs e BeatMakers
Sorobeatz 76
Ratão
Pita - X4R jay - X da Questão
Colorado - Boituva - SP
Marcião - Enxame - São Roque - SP
Samuel Subcultura - Subcultura Soundsystem
Sandro Mancha - Contem Glutéme
mais Djs a serem confirmados. acompanhe atualizações


Super Contra - batalha de Mcs >> Vida Longa ao Super Contra
Batalha com grande premiação para o 1° Lugar.

015 Graffiti Attack
15 Graffiteiros pintando ao vivo.

Intervenção com Teatro de Rua
Nativos Terra Rasgada

Game Of Skate
Alex Gambé (Love Skate Crew) e Gledson Buia (Skate Vida)
convidam 15 skatista de Sorocaba e região para uma session show.

gincana > quem montar o skate mais rápido levará premio
Best Tricks Patins
Fernando VBC e amigos

Roda de Break Dance
B.boy Ruddy (Suburban Breakers) e amigos

Dia 11 de Dezembro 2011 / 10h ás 24h.
15 horas de cultura
Entrada Franca / sem censura

Local:
Praça Zeca Padeiro - Votorantim - SP / R; Tarciso Nascimento, 301 - Protestantes
Infos e inscrições
contatozeroquinze@gmail.com



ZeroQuinze - O prefixo da rua: 11 DEZ - FESTIVAL 02 ANOS ZEROQUINZE: O Festival 02 ANOS ZEROQUINZE - VIDA LONGA AO SUPER CONTRA teve sua primeira edição nos dias 17 e 18 de Dezemb...

1 de dez de 2011

Clipe "Serviço de Preto".


O videoclipe musical "Serviço de Preto" é uma alusão ao termo pejorativo utilizado como forma de fazer menção as atividades e serviços mal feitos ou de baixa qualidade. O personagem central do video percorre um tempo histórico, desde o tráfico de escravos, até a tentativa do afrodescendente de inserção social através do mercado de trabalho.
A música é de autoria da dupla "Daniel Garnet e Peqnoh" com a parceria de Phael Camargo e Dennys Odd, sendo este o primeiro single que integrará o álbum de título homônimo, com previsão de lançamento para novembro de 2012.
Justificando a legitimidade da ideia central, a obra traz depoimentos reais de situações vividas por diversos profissionais negros.

14 de nov de 2011

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA DE SOROCABA 2011




PROGRAMAÇÃO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA SOROCABA 2011

9:00 ATO CIVICO NA PRAÇA CEL. FERNANDO PRESTES COM AUTORIDADES E ENTIDADES E CONVIDADOS

10:30 MARCHA ZUMBI COM PARTICIPAÇÃO DE TODA SOCIEDADE

11:30 ATO ECUMANICO NA CAPELA JOÃO DE CAMARGO COM REPRESENTAÇÃO DE TODAS AS RELIGIÕES, APRESENTAÇÃO DA CAPOEIRA, DANÇA DOS ORIXAS E MARACATU DO LEÃO DA VILA

15 :00 FECHAMENTO DO DIA DA CONSCIENCIA NEGRA NO PQ. DOS ESPANHÓIS COM BARRACAS, EXPOSIÇÕES E SHOWS COM CLUBE DO BALANÇO, RAPPIN HOOD, MARIA MADAME, CASSIANO MORAES, ODOBGÓ, NOSSA CARA PRETA/ X4 HIP HOP

13 de nov de 2011

HIP HOP NO PARQUE VILA FORMOSA NESTE SÁBADO, DIA 19 DE NOVEMBRO, AS 16 HRS, EM SOROCABA

NESTE SÁBADO, 19 DE NOVEMBRO, AS 16 HORAS

ACONTECE O HIP HOP NO PARQUE VILA FORMOSA

COMEMORANDO O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

RODA DE BREAKING, EXPOSIÇÕES E SHOWS

AO VIVO
CONTÉM GLÚTEM
BANCA FORTE DE CRISTO
RM 16
MULTIMPOSOM
EUMESMOANGELO
XIS QUATRO
E MARCIO BROWN

12 de nov de 2011

hoje, grande celebração da cultura hip hop no clube 28 de setembro de sorocaba

Hoje, dia 12 de novembro, celebramos o dia internacional da cultura Hip Hop no clube 28 de Setembro de Sorocaba, num grande encontro da new school e old school as 14 horas. Hip Hop é uma cultura de rua criado por DJ Grand Master Flash, Afrika Bambaataa e DJ Kool Herc.

Venha celebrar com a gente! Estaremos iniciando gravações da filmagem do filme Breaking, Suburban Breakers e a dança de rua na região de Sorocaba.

Contamos com sua presença Hip Hopper!!!

9 de nov de 2011

MÊS DA CONSCIENCIA NEGRA SOROCABA 2011 VEJA PROGRAMAÇÃO


MÊS DA CONSCIENCIA NEGRA SOROCABA 2011

PROGRAMAÇÃO:

· DIA 01 – 09:00 ENCERRAMENTO DO PROJETO AFRICA TAMBÉM ESTÁ AQUI! SEDE DA OFICINA PEDAGÓGICA DE SOROCABA DAS ESCOLAS ESTADUAIS

· DIA 10 – 19:30 CINE CLUBE QUILOMBINHO COM EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO HIP HOP EM MOVIMENTO endereço do local Rua Caramuru, 203. Vila Leão – informações Tel.15 3018 8090 Agendamentos escolares: marimcs05@yahoo.com.br ou (15) 9752-1886 com Mariana.

· DIA 12 – 14:00 DIA MUNDIAL DA CULTURA HIP HOP – COMEMORAÇÃO DE ANIVERSÁRIO NO CLUBE 28 DE SETEMBRO RUA MACHADO DE ASSIS 112, CENTRO

· DIA 13 – 09:00 HIP HOP NO VIA VIVA – AVENIDA ITAVUVU PROXIMO AO CENTRO ESPORTIVO DR. PITICO

· DIA 16 – 19:00 AUDIENCIA PUBLICA SOBRE A LEI 10.639 QUE FIXA O ENSINO DA AFRICA E CULTURA AFRO NAS ESCOLAS - PROJETO AFRICA TAMBÉM ESTÁ AQUI – CAMARA MUNICIPAL

· DIA 17 – 19:00 SESSÃO SOLENE EM COMEMORAÇÃO AO DIA DA CONSCIENCIA NEGRA E HOMENAGEM A PERSONALIDADES NEGRAS

· DIA 19 – 17:00 CULTURA AFRO NO PARQUE – PARQUE DA VILA FORMOSA COM SHOWS DE GRUPOS, DANÇA DE RUA, DJS E EXPOSIÇÕES

· DIA 19 – 21:00 CONCURSO DE MISS E MISTER AFRO SOROCABA – REALIZAÇÃO CLUBE 28 DE SETEMBRO NO CLUBE DOS COMERCIARIOS DE SOROCABA

· DIA 20 – 9:00 ATO CIVICO NA PRAÇA CEL. FERNANDO PRESTES COM AUTORIDADES E ENTIDADES E CONVIDADOS

· 10:30 MARCHA ZUMBI COM PARTICIPAÇÃO DE TODA SOCIEDADE

· 11:30 ATO ECUMANICO NA CAPELA JOÃO DE CAMARGO COM REPRESENTAÇÃO DE TODAS AS RELIGIÕES, APRESENTAÇÃO DA CAPOEIRA, DANÇA DOS ORIXAS E MARACATU DO LEÃO DA VILA

· 15 :00 FECHAMENTO DO DIA DA CONSCIENCIA NEGRA NO PQ. DOS ESPANHÓIS COM BARRACAS, EXPOSIÇÕES E SHOWS COM CLUBE DO BALANÇO, RAPPIN HOOD, MARIA MADAME, ODOBGÓ, NOSSA CARA PRETA/ X4 HIP HOP

· DIA 27 – 11:00 TRADICIONAL FEIJOADA DO QUILOMBINHO – CLUBE DOS COMERCIARIOS DE SOROCABA INFORMAÇÕES TEL.15 3018 8090

· DIAS 26 E 27 3º ENCONTRO NACIONAL HIP HOP MULHER NO CLUBE 28 DE SETEMBRO – DIA TODO – INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES PELO SITE: http://hiphopmulher.ning.com

31 de out de 2011

V Encontro Paulista de Hip Hop

 “Mais uma vez, a vida, não a ciência, cria a vida; somente a ação espontânea do povo pode criar a liberdade. Sem dúvida, será bastante feliz que a ciência possa, a partir de agora, iluminar a marcha do povo para a sua emancipação. Mas é melhor a ausência de luz do que uma luz trêmula e incerta, servindo apenas para extraviar aqueles que a seguem.”
Mikhail Bakunin
O Encontro Paulista de Hip Hop realizado, desde 2007, pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Assessoria de Hip Hop objetiva-se em debater e fazer fruir importantes conceitos da cultura hip hop, além de ampliar a discussão acerca das políticas públicas para e com a juventude, valorizando a auto-estima e trazendo, para a prática, o fomento de questões como: ações afirmativas; combate a qualquer tipo de discriminação; políticas de gênero; entre outras.
Para alcançar nossos objetivos temos, como fio condutor, práticas da educação formal e informal atrelados a cultura. Nos parece que, por meio dos processos educativos, podemos refletir, contextualizar e concretizar ações que fortalecem, estimulam e contribuem para a valorização das expressões da cultura hip hop, incentivando a participação plena e efetiva de seus atores e protagonistas na elaboração e desenvolvimento de políticas, programas e projetos culturais, para o reconhecimento do hip hop como elemento importante da cultura brasileira.
O Encontro Paulista de Hip Hop possui amplos instrumentos para discussões de variados temas, onde pesquisadores, estudantes e até curiosos podem extrair elementos para ampliação e fortalecimento desta cultura.
Na atual conjuntura, para a construção de nossa identidade, precisamos conhecer e reconhecer os personagens que há mais de 20 anos, produzem o hip hop no Brasil.
Como alçar vôos em busca da transformação social, sem saber a respeito dos componentes fundadores da cultura afro-brasileira? Impossível. Se a memória sobre os negros foi, e ainda é, diluída na história oficial do Brasil, cabe a nós fazê-la emergir. A cultura nos parece ser o principal instrumento para tal ação. Como fala Joaquim Barbosa Gomes:
“Assim, além do ideal de concretização da igualdade de oportunidades, figuraria entre os objetivos almejados com as políticas afirmativas o de induzir transformações de ordem cultural, pedagógica e psicológica, aptas a subtrair do imaginário coletivo a idéia de supremacia e de subordinação de uma raça em relação à outra, do homem em relação à mulher. O elemento propulsor dessas transformações seria, assim, o caráter de exemplaridade de que se revestem certas modalidades de ação afirmativa, cuja eficácia como agente de transformação social poucos até hoje ousaram negar.” (2)
O formato do Encontro Paulista de Hip Hop procura, por meio de, ações afirmativas que já acontecem em diversos locais do Estado de São Paulo, viabilizar um espaço onde os clássicos elementos – MC, DJ, Break e Grafitti – possam dialogar entre si e, entre outros, como: a literatura, novas mídias, artes gráficas, capoeira, repente, samba, culturas populares.
Na curadoria do V Encontro, indicamos a filiação do hip hop com sua matriz, a cultura negra. No Memorial da América Latina, encontramos esta característica nos tambores sagrados amalgamados com as pick-ups, no improviso do repente com o rap, nos debates de reconhecidos pesquisadores do mundo acadêmico com jovens ativistas do hip hop do Espaço Baobá, nas oficinas de Dj`s, junto aos dançarinos e grafiteiros.
Compomos com outras linguagens, da poesia e literatura periférica do Espaço Omi, da exposição de low rider`s e low biker`s, das livrarias especializadas em educação e cultura negra, da exibição de filmes e documentários, das contadoras de estórias do Espaço Erê e dos lançamentos de livros. Desta maneira, entendemos que o globalizado hip hop pode impulsionar as questões do racismo e anti-racismo, não apenas como um fenômeno ideológico e político, mas também “das formas concretas diversificadas, múltiplas” 3 que, por vezes, são reproduzidas e relativizadas no interior de organizações públicas e privadas. Para que, mais uma vez, o Hip Hop e as questões do racismo não sejam esquecidas no debate da diversidade.

21 de out de 2011

Dia da Consciência Negra poderá ser feriado nacional


Dia da Consciência Negra poderá ser feriado nacional

Projeto aprovado ontem (20) pelo Senado, já passou pela Câmara e agora segue para sanção da presidenta Dilma Rousseff


O Senado Federal aprovou ontem (20) projeto que declara feriado nacional o 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra e o enviou à sanção da presidenta Dilma Roussef. Caso seja sancionado, este será o primeiro feriado do país originário da mobilização social, principalmente do movimento negro. A data já é reconhecida e celebrada como feriado em mais de 200 cidades, inclusive três capitais (São Paulo, Rio de Janeiro e Cuiabá).

A comemoração do 20 de Novembro como Dia Nacional da Consciência Negra surgiu na segunda metade dos anos 1970, no contexto das lutas dos movimentos sociais contra o racismo. O dia homenageia Zumbi, símbolo da resistência negra no Brasil, morto em uma emboscada, no ano de 1695, após sucessivos ataques ao Quilombo de Palmares, em Alagoas. Desde 1995, Zumbi faz parte do panteão de Herois da Pátria.

Nas últimas décadas, o 20 de novembro tem sido dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e sobre as consequências do racismo para a vida das pessoas e para o desenvolvimento do país. Apesar do ponto alto da celebração coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares – 20 de Novembro – a cada ano, as atividades alusivas a esta data são expandidas ao longo do mês, ampliando os espaços de discussão sobre as questões raciais.

Anualmente, um número cada vez mais significativo de entidades da sociedade civil, principalmente o movimento negro, tem se mobilizado em todo o país, em torno de atividades relativas à participação da pessoa negra na sociedade em diferentes áreas: trabalho, educação, segurança, saúde, entre outras.

* Projeto Original
O projeto original que institui o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra (PLS 520/03), de autoria da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), previa apenas a data, mas não o feriado. Na justificação da matéria, Serys argumenta que sua proposta visa criar uma oportunidade para a reflexão sobre o preconceito ainda existente na sociedade brasileira.
Aprovado pelo Senado, o texto foi enviado à Câmara dos Deputados e apensado a outra proposta (PLS 302/2004), que propunha o dia 20 de novembro como feriado nacional.

* Feriados
Uma vez sancionado, o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra será o nono feriado nacional, juntamente com as seguintes datas: 1º de janeiro (Confraternização Universal), 21 de abril (Tiradentes), 1º de maio (Dia do Trabalho), 7 de setembro (Independência do Brasil), 12 de outubro (Nossa Senhora Aparecida), 2 de novembro (Finados), 15 de novembro (Proclamação da República) e 25 de dezembro (Natal).

Há ainda quatro datas comemorativas móveis, as quais, embora popularmente conhecidas como feriados nacionais, não são reconhecidas como tal pela legislação brasileira – Terça-Feira de Carnaval, Sexta-Feira da Paixão, Domingo de Páscoa e o Corpus Christi.

* Textos extraídos do Portal do Senado

Coordenação de Comunicação SEPPIR

14 de out de 2011

Professor de Porto Feliz receberá Prêmio de Literatura


Melhor obra de história social é de Carlos Cavalheiro.

O professor de História Carlos Carvalho Cavalheiro receberá, no dia 19 de outubro (quarta-feira), às 19 horas, na Biblioteca Municipal de Sorocaba "Jorge Guilherme Senger", o Prêmio Anual Sorocaba de Literatura, realizado pela prefeitura em parceria com a Academia Sorocabana de Letras. Essa premiação contempla as melhores obras publicadas do ano de 2010.

O livro do professor que recebeu o prêmio de melhor obra de história social é o “Vadios e Imorais: Preconceito e Discriminação em Sorocaba e Médio Tietê”.

Vadios e Imorais tece considerações sobre a situação do negro após a Abolição, especialmente na cidade de Sorocaba e na região do Médio Tietê (chamada pelo historiador Carlos Cavalheiro de Mississipi Paulista). Analisando a documentação referente ao final do século XIX e início do século XX, o historiador verificou a existência de uma sistemática perseguição promovida contra tudo o que se relacionasse com os negros, como a emissão de Posturas Municipais proibindo boa parte das manifestações de origem afrobrasileira. Em contrapartida, os negros desenvolveram estratégias de defesa de uma territorialidade e de expansão das relações sociais e de espaço de ação política.

Contudo, permaneceu entre a elite da cidade a ideia de que o negro não estava moralmente preparado para a vida em liberdade e, por isso, fugia do trabalho. Por essa forma de pensar, promoveu-se uma perseguição aos negros através de uma "guerra à vadiagem" (procurando associar essa prática com a ocorrência da liberdade dos escravos) e, depois, o recrutamento forçado.

O livro traz ainda informações sobre o preconceito e a discriminação étnica presentes na região do Médio Tietê, em cidades como Itu, Porto Feliz, Capivari, Tietê e Sorocaba.

A Biblioteca Municipal de Sorocaba "Jorge Guilherme Senger" fica nos Altos da Boa Vista, ao lado da prefeitura.


3º ENCONTRO HIP HOP MULHER EDIÇÃO SOROCABA

FAÇA SUA INSCRIÇÃO JÁ!
http://hiphopmulher.ning.com

17 de set de 2011

Z´AFRICA BRASIL E BANDA Z´AFRICANOS PELA PRIMEIRA VEZ EM SOROCABA E REGIÃO E LANÇAMENTO DO CD SOLO DE MÁRCIO BROWN


Z´AFRICA BRAIL E BANDA Z´AFRICANOS PELA PRIMEIRA VEZ EM SOROCABA E REGIÃO E LANÇAMENTO DO CD SOLO DE MÁRCIO BROWN

LOCAL: CLUBE 28 DE SETEMBRO – RUA MACHADO DE ASSIS, 112 CENTRO SOROCABA, SP

Z´AFRICA BRASIL E BANDA Z´AFRICANOS
MÁRCIO BROWN LANÇANDO SINGLE DO DISCO SOLO
DJ SUBRINHO
DJ COLORADO
SUBURBAN BRAKERS

DATA DO EVENTO: 08 DE OUTUBRO DE 2011
HORARIO: 22:00 AS 04:00

ANTECIPADOS
LOJA DROPP - AV. AFONSO VERGUEIRO, 1653
FONE: 15. 3033.0063

ORGANIZADORES:
NOSSA CARA PRETA
VS ORGANIZAÇÃO E ETRETENIMENTOS
INFO: 15. 3021.5214 / 9128.1534 / 9644.9454

29 de ago de 2011

IMPERDÍVEL - Z´AFRICA BRASIL E BANDA Z´AFRICANOS PELA 1ª VEZ EM SOROCABA E REGIÃO



Formado por Zulu Z’África, Gaspar e o Pitchô em 1995, o grupo Z’África Brasil é conhecido por sua originalidade e criatividade musical. Com isso, se posicionaram ao lado dos maiores grupos de Rap no Brasil, trabalhando os Elementos da cultura Hip Hop, na Militância com o movimento Político – Sócio - Cultural. O talento os levou a romper fronteiras, preconceitos musicais e regionais, e a trabalhar com músicos de outros estilos e outros países.

Em 1997, a Família cresce com a chegada de Funk Buia e DJ Meio Kilo e em 2004, Z´África se completa com a chegada do DJ Tano, da Família Back Spin Crew,Tri-Campeão do Hip-Hop Dj.

Com apresentações por toda a cidade de São Paulo, são convidados para participações em discos de outros artistas como Zeca Baleiro, Rappin’ Hood, Natiruts, Instituto e muitos outros, além de shows realizados na, Itália, Espanha, França (Paris, Lille e Bretanha, Inglaterra (Londres, Oxford), País de Gales, Canadá em Montreal, Toronto e Otawa.

Os últimos Trabalhos foram lançados é o Álbum “Tem Cor Age”, resultado da parceria com o Coletivo Instituto, DJ Periférico e Elemental. (2007/08). E o EP “ Verdade e Traumatismo”, Produzido por Assassin Productions/Livin´Astro em Paris. (2007/08).
- Próximo Lançamento para 2011 - Z´África Brasil - Around The World - Al Manaque Vol.1- Selo Elemental - acesse www.myspace.com/zafricabrasil
www.youtube.com/zafricabrasil

Z´AFRICA BRASIL E BANDA Z´AFRICANOS PELA PRIMEIRA VEZ EM SOROCABA EM GRANDE SHOW HISTÓRICO - INFORMÇÕES nossacarapreta@gmail.com

21 de jul de 2011

QUILOMBINHO HIP HOP VEM AI!


QUILOMBINHO HIP HOP
DOMINGO 31 DE JULHO AS 15 HORAS
CONVIDADOS: O.VINIL - DJ BNDEE, SUBRINHO E R.JAY
EUMESMO ANGELO, SPOK VS E MÁRCIO BROWN
RODA DE BREAKING
EXPOSIÇÕES
ENTRADA FRANCA

QUILOMBINHO FICA NA RUA CARAMURU, 203 VILA LEÃO (prox. ao SESI)
Contatos 15. 3018.8090 / 3021.5214

28 de jun de 2011

ProAC – HIP HOP/ 2011

ProAC – HIP HOP/ 2011
INSCRIÇÕES ATÉ 13 DE JULHO

A SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA através do seu Programa de Ação Cultural – Pro-AC selecionará 15 (quinze) projetos de cultura hip hop no Estado de São Paulo, com prêmio de R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais) cada.

Os projetos devem contemplar uma ou mais das atividades abaixo descritas:
a) Grafite;
b) Dança (Breaking, Popping e Locking);
c) D.J;
d) M.C.



Leia o edital aqui:http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.743e24c3aed90ec40fc55410e2308ca0/?vgnextoid=ff111f62a4e10310VgnVCM2000004d03c80aRCRD&vgnextchannel=4923b23eb2a6b110VgnVCM100000ac061c0aRCRD

2 de jun de 2011

livro "A Vida de James Brown" será lançado no Brasil em junho



"Na realidade, a primeira frase da introdução da primeira edição deste livro, publicada em 1996, observou que poucos artistas surtiram um efeito tão profundo no decorrer da história da música afro-americana desde a Segunda Guerra Mundial quando comparados a Brown. Sua influência fora, na verdade, muito mais ampla em função dos ritmos da música funk que ele criou na década de 1960, e que foram usados e adaptados pelo rock dos brancos e produções da música popular que se espalharam pelos continentes europeu e africano, assim como partes da Ásia. Ele se tornara o James Universal, como dizia o nome de um de seus últimos álbuns não tão essenciais em sua carreira, Universal James."

Esse é um pequeno trecho retirado da abertura do livro A Vida de James Brown, escrito por Geoff Brown, antigo redator da revista Black Music e autor da obra Michael Jackson - Uma Vida na Música. O livro, que tem lançamento previsto para esse mês, trará fotos raras, discografia completa e histórias ineditas do rei do soul/funk, considerado por muitos um dos pais da música rap.

leia trechos de abertura
http://musica.uol.com.br/ultnot/2011/06/01/livro-a-vida-de-james-brown-traz-fotos-raras-e-discografia-do-icone-do-soul-leia-trecho.jhtm

27 de mai de 2011

“Crônicas da Cidade Cinza” albúm de Ogi, terá capa assinada pela dupla Os Gêmeos




Nascido em São Paulo o integrante do grupo Contrafluxo, Ogi é um artista que vem se destacando no cenário musical e tem se mostrado um artista com capacidade de dar uma nova cara ao Rap Nacional.

Desenvolvendo um trabalho paralelo ao grupo, o MC lançará seu primeiro projeto solo, o disco Crônicas da Cidade Cinza. Influenciado por storytelling apresenta um novo conceito de contar histórias, canta suas crônicas fora do padrão convencional e vai além do que estamos habituados a ver e ouvir. Sua levada é incontestável, carregada de rimas consistentes e impecáveis, Ogi dissipa as barreiras da música e amplia a diversidade ao Rap Nacional.

Antes mesmo do lançamento de seu disco, participou de alguns eventos onde apresentou em doses homeopáticas parte do seu novo trabalho. Gravou três clipes: “Premonição” e “Por que, meu Deus?” Faixas que integram o disco Crônicas da Cidade Cinza e “A dama e o vagabundo”, música com parceria de Nathy MC. Todos disponíveis na programação da MixTV e da MTV Brasil.

Seu trabalho tem rendido frutos valorosos e o seu esforço e dedicação o valeu a indicação ao Video Music Brasil da MTV de 2010 na categoria Rap. Um dos MC’s mais completos de sua geração, Ogi desponta com a bagagem que carrega há quase uma década.

Crianças negras têm menor chance de adoção nos abrigos brasileiros


Na semana em que se comemora o Dia Nacional da Adoção, ainda é alta a taxa de crianças negras que aguardam por uma família. Elas correspondem a praticamente metade das quatro mil aptas para adoção entre 29 mil órfãos que vivem em abrigos espalhados pelo Brasil. Junto a eles, outros 21% dos meninos e meninas não são adotados por possuírem problemas de saúde ou algum tipo de deficiência.

Os dados foram divulgados no último mês pelo Cadastro Nacional da Adoção (CNA). De acordo com o documento, o número de interessados é sete vezes superior ao número de órfãos, porém, o perfil procurado é de recém-nascidos brancos e saudáveis, distante da realidade encontrada nos abrigos. Outra dificuldade da Justiça está em encaixar perfis com idade acima dos três anos, do sexo masculino, e crianças que possuem irmãos.

CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO – Os tabus e dificuldades nos processos de adoção foram discutidos no último dia 25 de maio, na Câmara dos Deputados. O juiz Nicolau Lupianhes Neto, coordenador do CNA, destacou a importância da conscientização para o uso da ferramenta.

“Criamos uma cultura de querer crianças pequenas, as mais velhas ficam relegadas ao segundo plano. Precisamos mudar essa consciência”, afirmou.

FAMÍLIA PARA TODOS – Para sensibilizar a sociedade quanto à importância da adoção, a ONG Aconchego e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República lançaram na última terça-feira, 25, a campanha Adoção: Família para Todos, em comemoração ao Dia Nacional da Adoção. A ideia é estimular a preferência por crianças e adolescentes excluídos dos perfis idealizados pelos pais adotivos.

Na campanha, o governo brasileiro assume um compromisso público pelo direito à convivência familiar de todas as crianças do país. Só no Distrito Federal, 295 famílias são habilitadas para a adoção e 163 crianças aptas para serem adotadas. O número corresponde a 2,5 famílias por cada criança apta. No entanto, 100 desses meninos e meninas têm idade entre 12 e 18 anos – idade pouco procurada para adoção.

SEM PRECONCEITOS – A escolha por crianças brancas, independentemente da idade, pode ainda estar muito relacionada à questão do preconceito de cor, ainda presente na sociedade. Enquanto os prováveis pais sonham encontrar crianças que se adaptem ao “perfil do filho imaginado”, os idealizadores da campanha Adoção: Família para Todos preferem tratar o tema como um direito da criança.

Fabiana Gadelha, diretora jurídica do projeto Aconchego, compara o processo de adoção a uma gestação natural. “Na gravidez não escolhemos o sexo do bebê. Da mesma forma que podemos gerar filhos diferentes do esperado, a adoção também pode”, afirma. “Quando buscamos um filho, não queremos um patrimônio. Nessa espera está a possibilidade de receber filhos fora do padrão comum”, completou.

Maria do Rosário, ministra dos Direitos Humanos, ressalta que é preciso superar escolhas muitas vezes motivadas por características étnicas e até pela pouca idade das crianças. Segundo a ministra, também é muito feliz adotar uma criança de outra raça ou de mais idade. “Assim, vamos tirar mais de 4 mil da situação de abandono”, ressaltou a ministra.


http://www.palmares.gov.br
Por Daiane Souza

A Presidenta Dilma sanciona lei que diferencia Grafite de pichação



A lei que proíbe a venda de tinta spray para menores de 18 anos foi sancionada pela presidente Dilma Roussef e publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (26). Pela nova legislação, mesmo os maiores de idade terão de apresentar documento de identidade para poder comprar o produto. O nome do comprador deverá constar nas notas fiscais.

A nova lei diferencia pichação de grafitagem e estabelece que as latas de tinta em aerosol terão de trazer inscritas as expressões: “Pichação é crime (Art. 65 Da Lei No. 9.605/98).

Proibida a veda da menores de 18 anos!”. Em caso de descumprimento da lei, o pichador poderá ser detido pelo período de três meses a um ano, e ainda ser multado.

Caso a pichação seja feita em monumento ou estrutura tombada pelo seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a
pena pode variar de seis meses a um ano de detenção e multa.

A aprovação do projeto de lei ocorreu quatro anos depois de apresentada.

De acordo com o texto, a grafitagem não será considerada crime quando tem o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado “mediante manifestação artística”.

Contudo, o trabalho deve ser consentido pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado. No caso de bem público, a autorização deve ser dada pelo órgão competente, obedecendo as posturas municipais e as normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional.

Os fabricantes, importadores ou distribuidores dos produtos terão um prazo de 180 dias para fazer as alterações nas embalagens. Os produtos envasados antes desse período poderão permanecer com seus rótulos sem as modificações estabelecidas, podendo ser comercializados até o final do prazo de sua validade.

Pela lei anterior, tanto pichar quanto grafitar eram considerados crimes, com pena de detenção de três meses a um ano

24 de mai de 2011

Revista Nossa Cara Preta nova edição já nas ruas





Salve, Salve Comunidade. Vamos levando a vida com muita energia, satisfação e vontade. Nosso informativo Nossa Cara Preta já está com a nova edição nas ruas e vem somar forças e repudiar junto a nossa comunidade toda forma de discriminação, preconceito e racismo existente na sociedade. Convidamos você a pegar o seu exemplar inteiramente gratuito. informações pelo fone 15. 3021.5214 ou no email nossacarapreta@gmail.com

Capa da nova edição da Revista bimestral Nossa Cara Preta.
Diagramação Revista Murilo Santos
Foto capa Clayton Camargo (nino)
Diereção Marcio Brown

Morre Abdias do Nascimento, guerreiro do povo negro



O Brasil acorda nesta manhã de terça, 24, com notícia da morte, no Rio de Janeiro, do escritor Abdias do Nascimento.Poeta, político, artista plástico, jornalista, ator e diretor teatral, Abdias foi um corajoso ativista na denúncia do racismo e na defesa da cidadania dos descendentes da África espalhados pelo mundo. O Brasil e a Diáspora perdem hoje um dos seus maiores líderes. A família ainda não sabe informar quando será o enterro. Aos 97 anos, o paulista de Franca, passava por complicações que o levaram ao internamento no último mês. Deixa a esposa Elisa Larkin, filhos e uma legião de seguidores, inspirados na sua trajetória de coragem e dedicação aos direitos humanos. (Redação, Correio Nagô)

Foto: doolharnegro.blogspot.com

ABDIAS DO NASCIMENTO
Nascido em Franca, São Paulo, 14 de março de 1914.



Professor Emérito, Universidade do Estado de Nova York, Buffalo (Professor Titular de 1971 a 1981, fundou a cadeira de Cultura Africana no Novo Mundo no Centro de Estudos Porto-riquenhos).

Artista plástico, escritor, poeta, dramaturgo.


Formação acadêmica


Bacharel em Economia, Universidade do Rio de Janeiro, 1938.

Diploma pós-universitário, Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB), 1957.

Pós-graduação em Estudos do Mar, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro/ Ministério da Marinha, 1967.

Doutor Honoris Causa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1993.

Doutor Honoris Causa, Universidade Federal da Bahia, 2000.

Doutor Honoris Causa, Universidade do Estado da Bahia, 2008

Cargos Eletivos e Executivos Exercidos


Deputado federal (1983-86).

Secretário de Estado, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras (SEAFRO) (1991-1994).

Senador da República (1991-99). Suplente do Senador Darcy Ribeiro, assumiu a cadeira no Senado, representando o Rio de Janeiro pelo PDT em dois períodos: 1991-1992 e 1997-99.

Secretário de Estado de Direitos Humanos e da Cidadania, Governo do Estado do Rio de Janeiro, 1999. Coordenador do Conselho de Direitos Humanos, 1999-2000.

Atividades e Realizações Principais


1930-1936. Alista-se no Exército, e na capital de São Paulo participa da Frente Negra Brasileira. Participa das Revoluções de 1930 e 1932, na qualidade de soldado. Combate a discriminação racial em estabelecimentos comerciais em São Paulo.

1936. Muda para o Rio de Janeiro com o objetivo de continuar seus estudos de economia, iniciados em São Paulo.

1937. Protestando contra a ditadura do Estado Novo, é preso e condenado pelo Tribunal de Segurança Nacional e cumpre pena na Penitenciária da Frei Caneca.

1938. Organiza junto com um grupo de militantes negros em Campinas, SP, o Congresso Afro-Campineiro, com o objetivo de discutir e organizar formas de resistência à discriminação racial.

1938. Diploma-se pela Faculdade de Economia da Universidade do Rio de Janeiro.

1940. Integrante da Santa Hermandad Orquídea, grupo de poetas argentinos e brasileiros, viaja com eles pela América do Sul. Em Lima, Peru, faz uma série de palestras na Universidad Mayor de San Marcos (Escola de Economia). Assiste à peça O Imperador Jones, de Eugene O'Neill, estrelada por um ator branco, Hugo D'Evieri, brochado de preto. A partir das reflexões provocadas por esse fato, planeja criar o Teatro do Negro Brasileiro ao retornar a seu país. Na Argentina, onde mora por mais de um ano, participa de movimentos teatrais com o objetivo de melhor conceitualizar a idéia do Teatro Negro.

1941. Voltando ao Brasil, é preso na Penitenciária de Carandiru, condenado à revelia por haver resistido a agressões racistas em 1936. Funda o Teatro do Sentenciado, organizando um grupo de presos que escrevem, dirigem e interpretam peças dramáticas.

1943. Saindo da prisão, procura em São Paulo apoio para a criação do Teatro do Negro. Não encontrando receptividade junto a intelectuais como o escritor Mário de Andrade, e outros, muda para o Rio de Janeiro.

1944. Funda, com o apoio de um grupo de negros e de setores da intelectualidade carioca, o Teatro Experimental do Negro (TEN). Na sede da UNE, realizaram-se os primeiros cursos de alfabetização, treinamento dramático e cultura geral para os participantes da entidade.

1945. Dirige o TEN na sua estréia no Teatro Municipal com o espetáculo O Imperador Jones, estrelado pelo genial ator negro Aguinaldo Camargo, em 08 de maio, dia da vitória dos aliados na Segunda Guerra Mundial. Daí em diante, até 1968, o TEN teve presença destacada no cenário cultural e teatral brasileiro.

1945. Com um grupo de militantes, funda o Comitê Democrático Afro-Brasileiro, que luta pela anistia dos presos políticos.

1945-46. Organiza a Convenção Nacional do Negro (a primeira plenária realizando-se em São Paulo e a segunda no Rio de Janeiro), que propõe à Assembléia Nacional Constituinte a inclusão de um dispositivo constitucional definindo a discriminação racial como crime de lesa-Pátria. A iniciativa, apresentada à Assembléia Nacional Constituinte pelo Senador Hamilton Nogueira, não é aprovada.

1946. Participa da fundação do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) no Rio de Janeiro.

1948. Funda, junto com Sebastião Rodrigues Alves e outros petebistas, o movimento negro do PTB.

1949. Organiza, com a colaboração do sociólogo Guerreiro Ramos e do etnólogo Édison Carneiro a Conferência Nacional do Negro, preparatória do 1º Congresso do Negro Brasileiro.

1949-1951. Funda e dirige o jornal Quilombo, órgão de divulgação do TEN.

1950. Realiza no Rio de Janeiro o 1º Congresso do Negro Brasileiro, evento organizado pelo TEN.

1955. Realiza o Concurso de Artes Plásticas sobre o tema do Cristo Negro, evento polêmico que mereceu a condenação de setores da Igreja Católica e o apoio do bispo Dom Hélder Câmara.

1957. Forma-se na primeira turma do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB). Estréia a peça de sua autoria, Sortilégio: Mistério Negro, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e de São Paulo.

1968. Funda o Museu de Arte Negra, que realiza sua exposição inaugural no Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Encontra-se alvo de vários Inquéritos Policial-Militares e se vê obrigado a deixar o país. Convidado pela Fairfield Foundation, inicia uma série de palestras nos Estados Unidos.

1968-69. Durante um semestre, atua como Conferencista Visitante da Yale University, School of Dramatic Arts. Inicia sua atuação como artista plástico, pintando telas que transmitem os valores da cultura religiosa afro-brasileira e da luta pelos direitos humanos dos povos africanos em todo o mundo. (Ver lista de exposições abaixo).

1969-70. Convidado pelo Centro para as Humanidades da Wesleyan University (Middletown, Connecticut), participa durante um ano, com intelectuais como Norman Mailer, Norman O. Brown, John Cage, Buckminster Fuller, Leslie Fiedler, e outros, do seminário A Humanidade em Revolta.

1970. É convidado para fundar a cadeira de Culturas Africanas no Novo Mundo, no Centro de Estudos Portorriquenhos da Universidade do Estado de Nova York em Buffalo, na qualidade de professor associado, no ano seguinte titular, e lá permanece até 1981.

1973. Participa da Conferência de Planejamento do 6º Congresso Pan-Africano em Kingston, Jamaica.

1974. Participa do Sexto Congresso Pan-Africano, Dar-es-Salaam, Tanzânia, como único representante da região da América Latina.

1976-77. Convidado pela Universidade de Ife, Ile-Ife, Nigéria, passa um ano como Professor Visitante no Departamento de Línguas e Literaturas Africanas.

1976. Participa, a convite do escritor Wole Soyinka, no Seminário Alternativas para o Mundo Africano, reunião em que funda-se a União de Escritores Africanos, em Dakar.

1977. Participa na qualidade de observador, perseguido pela delegação oficial do regime militar brasileiro, do Segundo Festival Mundial de Artes e Culturas Negras e Africanas, realizado em Lagos. Denuncia, no respectivo Colóquio, a situação de discriminação racista vivida pelo negro no Brasil. Na Europa e Estados Unidos, participa da fundação, desde o exílio, do novo PTB (mais tarde, Partido Democrático Trabalhista - PDT).

1977. Participa, na qualidade de delegado e presidente de grupo de trabalho, do Primeiro Congresso de Cultura Negra nas Américas, realizado em Cáli, Colômbia.

1978. Participa em São Paulo do ato público de fundação e das reuniões organizativas do Movimento Negro Unificado contra a o Racismo e a Discriminação Racial. Participa da reunião internacional de exilados brasileiros O Brasil no Limiar da Década dos Oitenta, em Stockholm, Suécia.

1979. A convite do Bloco Parlamentar Negro (Congressional Black Caucus) do Congresso dos Estados Unidos, e do Sindicato de Trabalhadores do Correio, profere conferência na sede da Câmara dos Deputados em Washington, D.C.

1980. Participa, na qualidade de delegado especial, do Segundo Congresso de Cultura Negra das Américas, realizado no Panamá, e é eleito pelo plenário Coordenador Geral do Terceiro Congresso. No Brasil, lança o livro O Quilombismo e ajuda a fundar o Memorial Zumbi, organização nacional voltada à recuperação, em benefício da comunidade afro-brasileira e do mundo africano, das terras da República dos Palmares, na Serra da Barriga, Alagoas.

1981. Funda o Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (IPEAFRO) na PUC-SP. Integra a executiva nacional do PDT e funda a Secretaria do Movimento Negro do PDT, no Rio de Janeiro e a nível nacional. Participa da coordenação internacional do projeto Kindred Spirits, exposição itinerante de artes afro-americanas.

1982. Organiza e é eleito para presidir o Terceiro Congresso de Cultura Negra das Américas, realizado nas dependências da PUC-SP com representantes de todo o mundo africano exceto o Pacífico.

1983. Assume a cadeira de Deputado Federal, eleito suplente pelo PDT-RJ. É o primeiro deputado afro-brasileiro a exercer o mandato defendendo os direitos humanos e civis do povo afro-brasileiro. A convite da ONU, participa do Simpósio Regional da América Latina em Apoio à Luta do Povo da Namíbia pela sua Independência, em San José, Costa Rica. Visita a antiga sede da UNIA de Marcus Garvey em Limón. Viaja também a Nicarágua, participando de sessões da Assemblea Nacional e conhecendo as populações de origem africana em Bluefields, litoral oriental do país. Em Washington, D.C., participa do seminário Dimensões Internacionais: a Realidade de um Mundo Interdependente, a convite do Bloco Parlamentar Negro (Black Congressional Caucus), na sede do Congresso Nacional dos Estados Unidos.

1984. Cria, junto com um grupo de intelectuais e militantes negros, a Fundação Afro-Brasileira de Arte, Educação e Cultura (FUNAFRO), integrando o IPEAFRO, o Teatro Experimental do Negro, a revista Afrodiaspora, e o Museu de Arte Negra.

1985. A convite da ONU, participa da Simpósio Mundial em apoio à Luta do Povo da Namíbia pela sua Independência, em Nova York. Participa, novamente, de reunião internacional patrocinada pelo Bloco Parlamentar Negro dos Estados Unidos: a Conferência Internacional sobre a Situação dos Povos do Terceiro Mundo, na sede do Congresso norteamericano em Washington, D.C. Integrando comitiva oficial brasileira, visita Israel a convite do respectivo governo.

1987. Participa, na qualidade de delegado de honra,da Conferência Internacional sobre a Negritude e as Culturas Afro nas Américas, Florida International University, Miami. Integra o Conselho de Contribuintes do Município do Rio de Janeiro.

1987-88. Integra o Comitê Dirigente Internacional, Festival Pan-Africano de Artes e Cultura, Dakar, Senegal. Participa da direção internacional do Memorial Gorée, organização dedicada ao projeto de construção de um memorial aos africanos escravizados na ilha senegalesa que serviu como entreposto do comércio escravista. Integra a direção internacional do Instituto dos Povos Negros, organização internacional promovida com o apoio da UNESCO pelo governo de Burkina Faso e de outros países africanos e caribenhos.

1988. Profere a conferência inaugural da Série Anual de Conferências Internacionais W. E. B. DuBois em Accra, República de Gana, promovida pelo Centro de Estudos Pan-Africanos W. E. B. DuBois, e visita o país a convite do governo. Participa da Comissão Nacional para o Centenário da Abolição da Escravatura. Realiza exposição individual intitulada Orixás: os Deuses Vivos da África, na sede do Ministério da Educação e Cultura, o Palácio Gustavo Capanema.

1989. Na qualidade de consultor da UNESCO para assuntos culturais, passa um mês em Angola. É eleito Presidente do Memorial Zumbi e atua no Conselho de Curadores da Fundação Cultural Palmares, Ministério da Cultura. É nomeado Conselheiro representante do Município no Conselho de Contribuintes do Município do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Fazenda.

1990. A convite da SWAPO (movimento de libertação nacional transformado em partido político eleito ao primeiro governo da nação), participa da cerimônia de independência da Namíbia e posse do Governo Sam Nujoma, em Windhoek.

1990-91. Durante um ano atua como Professor Visitante, Departamento de Estudos Africano-Americanos, Temple University, Philadelphia. Acompanha Darcy Ribeiro e Doutel de Andrade na chapa do PDT para o Senado, sendo eleito suplente de senador.

1991. Assume a pasta de Secretário de Estado para a Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras (SEAFRO) no Governo do Rio de Janeiro. A convite do Congresso Nacional Africano (ANC) da África do Sul, participa de sua 48a Conferência Nacional presidido por Nelson Mandela, em Durban. É nomeado membro do Conselho de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

1991-92. Assume a cadeira no Senado. Integra a comitiva presidencial em visita a Angola, Moçambique, Zimbabwe, e Namíbia. Participa no Primeiro Congresso Internacional sobre Direitos Humanos no Mundo Africano, patrocinado pela organização não-governamental AFRIC e realizado em Toronto, Canadá.

1993-94. Retoma a Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras.

1995. Participa das atividades do Tricentenário de Zumbi dos Palmares, em vários estados e municípios do Brasil e nos Estados Unidos. Lança o livro Orixás: os Deuses Vivos da África, com reproduções de suas pinturas, texto sobre cultura e experiência afro-brasileiras, e textos críticos de diversos autores (africanos, norteamericanos, caribenhos, e brasileiros) sobre a sua obra de artes plásticas. É Patrono do Congresso Continental dos Povos Negros das Américas, realizado no Parlamento Latinoamericano em São Paulo, em comemoração ao Tricentenário da Imortalidade de Zumbi dos Palmares, 20 de novembro de 1995.

1996. Recebe da Câmara Municipal de São Paulo o título de Cidadão Paulistano.

1997. Assume em caráter definitivo o mandato de senador da República. Recebe o prêmio de Menção Honrosa de Direitos Humanos outorgado pela Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP. Realiza exposição de pintura no Salão Negro do Congresso Nacional.

1998. Participa com um comentário ao Artigo 4º da Declaração de Direitos Humanos por ocasião do cincoentenário desse documento da ONU em 1998, incluído em volume organizado e publicado pelo Conselho Federal da OAB. Outros artigos foram comentados por personalidades como o rabino Henry Sobel, Adolfo Pérez Esquivel, Evandro Lins e Silva, Dalmo de Abreu Dallari, João Luiz Duboc Pinaud, e outros. Realiza exposição de pintura (28 telas) na Galeria Debret em Paris.

1999. Assume, como titular fundador, a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania do Governo do Estado do Rio de Janeiro. É homenageado pela Câmara Municipal de Salvador entre cinco personalidades do mundo africano: Malcolm X, Abdias Nascimento, Martin Luther King, Patrice Lumumba, Samora Machel.

2000. Extinta a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, preside provisoriamente o Conselho de Direitos Humanos e volta a dedicar-se às atividades de escritor e pintor. Recebe o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia.

2001. É agraciado pelo Schomburg Center for Research in Black Culture, centro de referência mundial que integra o sistema de bibliotecas públicas do município de Nova York, com o Prêmio Herança Africana comemorativo dos 75 anos da fundação daquela instituição. A comissão de seleção dos premiados foi constituída pelo ex-prefeito de Nova York, David N. Dinkins, a poetisa Maya Angelou, o cantor Harry Belafonte, o ator Bill Cosby, a diretora da editora Présence Africaine Mme. Yandé Christian Diop, o professor Henry Louis Gates da Harvard University, a coreógrafa Judith Jamison, o cineasta Spike Lee e o reitor da Universidade das Antilhas Rex Nettleford. As outras cinco personalidades homenageadas com o prêmio em cerimônia realizada na sede da ONU foram o intelectual senegalês e ex-diretor da UNESCO M. Amadou Mahktar M'Bow, a coreógrafa e antropóloga Katherine Dunham, a ativista dos direitos civis e fundadora da Organização das Mulheres Negras dos Estados Unidos Dorothy Height, o fotógrafo Gordon Parks, e músico e fotógrafo Billy Taylor.

Convidado pela Fórum Nacional de Entidades Negras, faz o discurso de abertura da 2ª Plenária de Entidades Negras Rumo à 3ª Conferência Mundial Contra o Racismo, Rio de Janeiro, 11 de maio de 2001.

É agraciado com o Prêmio Cidadania 2001, da Comunidade Bah'ai do Brasil, conferido em Salvador em junho.

Inaugura-se em julho o Núcleo de Referência Abdias Nascimento, contra o Racismo e o Anti-Semitismo, e seu Serviço Disque-Racismo, iniciativas da Fundação Municipal Zumbi dos Palmares, Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes, Estado do Rio de Janeiro.

Profere discurso de abertura do 1º Encontro Nacional de Parlamentares Negros, Salvador, Bahia, 26 de julho de 2001.

Convidado pela Coalizão de ONGs da África do Sul (SANGOCO), profere palestra na mesa Fontes, Causas e Formas Contemporâneas de Racismo, Fórum das ONGs, 3ª Conferência Mundial Contra o Racismo, Durban, África do Sul, 28 de agosto de 2001.

É agraciado com a Ordem do Rio Branco, no grau de Oficial, Brasília, outubro de 2001.

É agraciado com o Prêmio UNESCO, categoria Direitos Humanos e Cultura de Paz, outubro de 2001.

2002. Lança os livros O Brasil na Mira do Pan-Africanismo (CEAO/ EdUFBA) e O Quilombismo, 2ª ed. (Fundação Cultural Palmares).

É convidado pelo Liceu de Artes e Ofícios da Bahia a ser o palestrante da segunda de suas novas Conferências Populares, continuando essa tradição centenária no seu 130o aniversário.

Participa das comemorações do Dia Nacional da Consciência Negra em Porto Alegre, 20 de novembro.

É homenageado pela Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia, na sua 4ª Conferência Nacional realizada em Brasília em 11 de dezembro, como personalidade destacada na história dos direitos humanos no Brasil.

Exposição Abdias do Nascimento: Vida e Arte de um Guerreiro, Centro Cultural José Bonifácio, Rio de Janeiro, inaugurada em dezembro.

2003. Discursa, na qualidade de convidado especial, na inauguração da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Brasília, 21 de março.

É homenageado pela Fala Preta! Organização de Mulheres Negras de São Paulo, como personalidade destacada na defesa dos direitos humanos dos afrodescendentes brasileiros, 22 de abril.

Publica em maio edição em fac-símile do jornal Quilombo (São Paulo: Editora 34).

Recebe o Diploma da Camélia, Campanha Ação Afirmativa/ Atitude Positiva, CEAP e Coalizão de ONGs pela Ação Afirmativa para Afrodescendentes, Rio de Janeiro, 17 de novembro.

Recebe o Prêmio Comemorativo das Nações Unidas por Serviços Relevantes em Direitos Humanos, Rio de Janeiro, 26 de novembro.

2004. No Seminário Internacional Políticas de Promoção Racial, recebe o Prêmio de Reconhecimento da Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro. Brasília, 21 de março de 2004.

Recebe homenagem da Presidência da República aos 90 anos "do maior expoente brasileiro na luta intransigente pelos direitos dos negros no combate à discriminação, ao preconceito e ao racismo". Brasília, 21 de março de 2004.

Recebe prêmio de Reconhecimento 10 Years of Freedom - South Africa 1994-2004, do Governo da África do Sul, abril de 2004.

Profere palestra "Memorial de Luta", no Seminário O Negro na República Brasileira: Pautas de Pesquisa, promovido pelo Núcleo Interdisciplinar de Reflexão e Memória Afro-Descendente da PUC-Rio, maio de 2004.

Participa do VII Congresso da BRASA, Associação de Estudos Brasileiros, na qualidade de homenageado no Painel sobre a sua vida e obra, realizado em sessão plenária do dia 10 de junho de 2004, na PUC-Rio.

Participa do Fórum Cultural Mundial, realizado em São Paulo em julho de 2004, como homenageado no painel Abdias Nascimento, um Brasileiro no Mundo, organizado pela SEPPIR, em que é lançado oficialmente o seu nome para o prêmio Nobel da Paz, ampliando a repercussão da indicação feita pelo Instituto de Advocacia Ambiental e Racial - IARA.

2011. Um prêmio nacional organizado pela Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial é lançando com seu nome, no Rio de Janeiro, para estimular a diversidade no jornalismo.

Informações do IPEAFRO



Assista vídeo onde Abdias fala sobre sua militânca

17 de mai de 2011

Associação de Capoeira Emboscada realiza dia 21 e 22 de maio, neste final de semana, Festival Sorocabahia



FESTIVAL SOROCABAHIA NESTE FINAL DE SEMANA - DIAS 21 E 22 DE MAIO - AUDITÓRIO PEDRO SALOMÃO JOSÉ DA ESCOLA MUNICIPAL GETULIO VARGAS NA RUA EUGENIO SALERNO, 298 PROXIMA DA PRAÇA 9 DE JULHO - SANTA TERESEINHA.

REALIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO CAPOEIRA EMBOSCADA
INFORMAÇÕES FONE 15. 3018.7728 - email: contramestrepulga@hotmail.com


A capoeira é uma expressão culturalAfro-brasileira que misturaluta, dança,cultura popular,música. Desenvolvida no Brasil por escravos africanos e seus descendentes, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando os pés, as mãos, a cabeça, os joelhos, cotovelos, elementosginástico-acrobáticos, e golpes desferidos com bastões e facões, estes últimos provenientes do Maculelê. Uma característica que a distingue da maioria das outras artes marciais é o fato de ser acompanhada por música.


A notícia mais antiga que se tem da capoeira na cidade de Sorocaba é a edição do Código de Posturas da Câmara Municipal, datado de 1850, e que trata, em seu artigo 151, da proibição dessa luta. O enunciado do artigo é o seguinte:
“Toda a pessoa que nas praças, ruas, casas públicas, ou em qualquer outro lugar tão bem público praticar ou exercer o jogo denominado de Capoeiras ou qualquer outro gênero de luta, sendo livre será preso por dois dias, e pagará dois mil reis de multa, e sendo cativa será preso, e entregue a seu senhor para o fazer castigar naquela com vinte cinco açoites e quando não faça sofrerá o escravo a mesma pena de dois dias de prisão e dois mil réis de multa” [1].

As leis municipais de Sorocaba repressivas à prática da capoeira continuaram sendo editadas nas Posturas Municipais durante as décadas subseqüentes. Em 1865 o tópico referente à proibição da capoeira figurou no artigo 127:
“Toda e qualquer pessoa que em praças, ruas, ou outro qualquer lugar exercer o jogo denominado capoeiras, ou qualquer outra luta, será multado em 4$ e dois dias de prisão [2]”.
!

Festival Black na Cena confirma vinda do rapper Method Man



Além do grupo de rap Public Enemy, o cantor George Clinton, o rapper Redman e o grupo Naughty By Nature, o Black na Cena Music Festival confirma também a presença do rapper Method Man, do grupo Wu-Tang Clan. O evento será realizado nos dias 22, 23 e 24 de julho, na Arena Anhembi, em São Paulo.

Atrações nacionais também estão na programação
George Clinton irá se apresentar no primeiro dia do festival (22/6), juntamente com a cantora Sandra de Sá e a banda Baile do Simonal, com os irmãos Wilson Simoninha e Max de Castro. O lendário grupo de rap Public Enemy fará seu show no dia 23/6 e terá a companhia de Jorge Ben Jor, do rapper paulista Xis e Marcelo Yuka. Os rappers Redman, Method Man e o grupo Naughty By Nature subirão ao palco no dia 24/6, junto com o grupo Racionais MCs e o rapper Thaide.

mais detalhes acesse http://centralhiphop.uol.com.br/site/?url=noticias_detalhes.php&id=2651

12 de abr de 2011

MÁRCIO BROWN PREPARA PRA LANÇAR O SINGLE COISA DE NEGRO




Márcio Brown lançará em julho de 2011, com local ainda não definido, seu primeiro trabalho solo, o single “Coisa de Negro” que terá quatro faixas contendo duas versões da música “Coisa de Negro”. Márcio Brown conheceu o Hip Hop nos bailes black do DJ Nelson Maçã no Clube 28 de Setembro nos anos 80. Atuou e criou diversos grupos e bandas tais como: Juventude Negra, Brothers do Rap, DMR, Irmão de Quebrada, Gangsta Rap, Fora do Crime, 13 Volts, banda Fuzuê que misturava o Hip Hop com Percussão, Capoeira e Poesia e atualmente agrega seu trabalho solo com o projeto Cultural Nossa Cara Preta que mantém um Blog, revista e o trabalho artístico com os 04 elementos do Hip Hop com participação do B.Boy Nino Suburban Breakers, DJ Subrinho e Bndee, grafiteiros como Will artes e Kasoia e a participação de outros rappers. Foi por meio da musica Rap que o despertou para sua identidade Negra tornando-se militante do Hip Hop com foco na cultura Afro-Brasileira e na igualdade Racial.


Single Coisa de Negro
Produção de Márcio Brown
Gravado no Estúdio Aquarela por Mauricio Nogueira
Participações especiais de Camaleão Bola de Meia nas versões da musica Coisa de Negro e do Cantor Hugo Rafael na faixa Não tem motivos.
Criação da Capa Murilo Santos
Contatos:15. 3021.5214 / 9128.1534
Email: marciobrown89@gmail.com / nossacarapreta@gmail.com

baixe a versão original da música Coisa de Negro
http://www.4shared.com/audio/Rfh1wiQ-/COISA_DE_NEGRO_-__NOSSA_CARA_P.html

11 de abr de 2011

Conselho de igualdade racial poderá ter comissão permanente para juventude negra


De acordo com o “Mapa da Violência 2011: os jovens do Brasil”, pesquisa encomendada pelo Ministério da Justiça ao Instituto Sangari, o grau de vitimização da população negra é alarmante, sendo 103,4% maior as chances de morrer uma pessoa negra, se comparada a uma branca; e 127,6% a probabilidade de morte de um jovem negro [15 a 25 anos] a de um branco da mesma faixa etária.

De forma a possibilitar a elaboração de estratégias e de ações pela defesa do direito à vida e para enfrentamento do elevado grau de vitimização da juventude negra, a SEPPIR reuniu representantes de governo e da sociedade civil, nesta sexta-feira, 8, para desenvolver o projeto de Resolução que cuidará da criação da “Comissão Permanente de Promoção e de Defesa dos Direitos da Juventude Negra”, a funcionar no âmbito do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR). A proposta vai ser apresentada na próxima reunião do órgão colegiado, que vai acontecer nos dias 13 e 14 deste mês.

“Com a Comissão, teremos um organismo estruturado para subsidiar o CNPIR na formulação e na implementação de metas e de prioridades que visem a aplacar o alto grau de vitimização da juventude negra.”, disse Anhamona de Brito, Secretária de Políticas de Ações Afirmativas da SEPPIR. “Se aprovada, a Comissão poderá produzir e solicitar estudos, análises e pesquisas, além de apresentar relatórios, pareceres e recomendações ao CNPIR nas áreas de interesse desse segmento”, concluiu.

Dividido em duas etapas, o encontro possibilitou a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e aos demais ministérios participantes que apresentassem quais as ações políticas projetadas para o ano de 2011. Ao lado disso, os representantes da sociedade civil presentes mostraram o plano de ação de enfrentamento à mortalidade dessa população, elaborado em atividades convocadas pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, ao longo do ano de 2010. Estiveram presentes integrantes da Secretaria Nacional de Juventude – SNJ, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, de Direitos Humanos, de Políticas para as Mulheres.

De acordo com a titular da Secretaria Nacional da Juventude, Severine Macedo, sua gestão será pautada numa relação afinada com a SEPPIR, focando o enfrentamento da mortalidade da juventude negra. Ela afirmou a necessidade de ações concretas nessa área, conjugadas com diretrizes do governo da presidenta Dilma Rousseff, como o combate à pobreza e a Agenda do Trabalho Decente.

Já a representante da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Marina Marinho, fez uma apresentação de diretrizes voltadas às jovens negras. Segundo a gestora, a atenção a essa parcela da sociedade se deve à maior exposição aos riscos de violência e de tráfico, de contaminação por HIV, piores condições de inserção no mercado de trabalho, riscos de gravidez na adolescência e ao aborto inseguro.

As ações da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR) que dialogam com o tema, segundo o representante do órgão, João Alves de Souza Júnior, estão relacionadas à Defesa e Promoção de Direitos Humanos para a Juventude. Entre elas, o combate ao trabalho escravo, atendimento à população em situação de rua, centros de referência em direitos humanos, políticas públicas para a comunidade LGBT, ouvidoria, entre outras ações.

Para Thadeu de Jesus e Silva Filho da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), é importante a coleta de dados para a formulação das políticas para a juventude negra. Ele afirmou que o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), foi montado graças à consistência das informações produzidas acerca da mortalidade de homens negros e de mulheres negras, particularmente a população jovem, na faixa etária entre 15 e 24 anos.

Representante da sociedade civil, Roque Peixoto sugeriu a inclusão do quesito raça/cor no Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem), questionou a efetividade do Pronasci para a juventude negra, e propôs a inclusão de um recorte para o segmento nas ações da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Por Comunicação Social SEPPIR/PR

5 de abr de 2011

DEXTER CONVIDA VOCÊ NESTA SEXTA DIA 08/04 GRANDE SHOW NO CLUBE 28 DE SETEMBRO EM SOROCABA A PARTIR DAS 22 HRS





DEXTER OITAVO ANJO EM SOROCABA

08 ANOS DEPOIS DE TOCAR COM O GRUPO 509-E, DEXTER VOLTA COM SEU SHOW E TRABALHO SOLO EM SOROCABA.

Um dos principais show de rap no Brasil “DEXTER e Convidados” chega em Sorocaba no dia 08 de abril de 2011 por meio de Negro Show Produções produtora de Márcio Brown em parceria com Preto Claudinho. Será realizado no Clube 28 de Setembro na cidade de Sorocaba e promete agitar a região. Contatos e compra de ingressos pelo email: dexteremsorocaba@gmail.com ou por tel: 15. 9128.1534 / 11. 8107.8794 ingressos já à venda na secretaria do Clube 28.

Marcos Fernandes de Omena, mais conhecido como Dexter, é um rapper brasileiro da periferia de São Paulo, precisamente Jardim Calux - São Bernardo do Campo - SP, que desde 1990 está dentro do cenário do Hip-Hop Nacional revolucionando na produção musical, já que consegue frente à limitações de estar privado de sua liberdade, transcender e produzir obras que há anos embalam as gerações periféricas.

O 509-E revolucionou e ganhou grande destaque na mídia nacional e internacional, inicialmente com o disco "Provérbios 13" lançado pela gravadora Atração, que contou com sucessos como "Saudades Mil" e "Oitavo Anjo" (ambas de sua autoria), o mesmo disco recebeu o prêmio de revelação do ano de 2000 e também o de melhor álbum do século no prêmio Hutuz em 2009. A obra foi produzida por grandes nomes do rap nacional, tais como DJ Hum, DJ Luciano, MV Bill, Zé Gonzales (Planet Hemp), Mano Brown e Edi Rock (Racionais Mc’s).

Dexter inicia sua carreira solo em 2005 com o lançamento de "Exilado Sim, Preso Não", produzido por ele mesmo, DJ Dico e outros na Penitenciária de São Vicente, onde foi instalado improvisadamente um estúdio móvel. Neste trabalho foram lançadas doze músicas, algumas contando com a participação de nomes de peso como GOG, MV Bill, Tina, Mano Brown entre outros. No mesmo ano o disco foi premiado no HUTUZ como melhor álbum, e pelo Hip Hop Top em quatro categorias: Melhor Álbum, Disco Solo Masculino, Melhor Música (Fênix), e Voz do Povo.

18 de mar de 2011

IMPERDIVEL - SHOW DO DEXTER EM SOROCABA DIA 08 DE ABRIL NO CLUBE 28 DE SETEMBRO

GRANDE SHOW DO RAPPER DEXTER OITAVO ANJO ex 509-E EM SOROCABA DIA 08 DE ABRIL A PARTIR DAS 22:00 NO CLUBE 28 DE SETEMBRO - RUA MACHADO DE ASSIS, 112 CENTRO/SOROCABA PROX. OFICINA CULTURAL GRANDE OTELO

e mais:
DJ PITA E DJ SUBRINHO
COM O MELHOR DO BLACK * HIP HOP E SAMBA-ROCK

GRUPO X DA QUESTÃO DE SOROCABA
E CONTÉM GLÚTEM DE ITAPETININGA

INFORMAÇÕES: 15. 9128.1534 / 11. 8107.8794
dexteremsorocaba@gmail.com


16 de mar de 2011

rapper e cantor Nate Dogg morre aos 41 anos, nos Estados Unidos


O rapper e cantor de r&b Nathaniel Dwayne Hale, mais conhecido como Nate Dogg, morreu nesta terça-feira (15/3). Ele tinha 41 anos. Sua voz e flow inconfundíveis marcaram época na música rap, em especial nos anos 90. Muitos o consideravam um dos maiores cantores de r&b do mundo.

As causas da morte não foram reveladas, mas ele já havia sofrido dois AVCs, em 2007 e 2008. As informações são do site da revista "Entertainment Weekly". "Nós perdemos uma verdadeira lenda do hip-hop e do r&b mundial. Um dos meus melhores amigos e irmão desde 1986 (...)", comentou o rapper Snoop Dogg em seu Twitter oficial.

Nate Dogg ficou famoso pela participação no álbum de estreia do produtor americano Dr. Dre, The chronic (1992). O disco contém grandes sucessos do rap norte-americano dos anos 1990, como "Nuthin’ but a ‘g’ thang". Nate canta em "Deeez nuuuts". Depois disso, colaborou em músicas de artistas como Snoop Dogg, Tupac, Ludacris, 50 Cent e Eminem.

10 de mar de 2011

28 de Setembro” é bicampeã do carnaval sorocabano



E a grande campeã de 2011 no carnaval de Sorocaba é a mesma de 2010. A escola de samba “28 de Setembro”, uma das mais antigas da cidade, conquistou o título pela segunda vez consecutiva. O enredo “Comunicação” trazia uma das alas homenageando a imprensa da cidade. A escola somou nota total de 163,5, enquanto a “Estrela da Vila”, segunda colocada, ficou com 162 pontos – 1,5 de diferença.

A presidente vencedora, Marina Carvalho, disse que a “28 de Setembro” entrou com a responsabilidade de campeã e por essa razão precisava fazer bonito. O orçamento foi de cerca de R$ 40 mil, dos quais R$ 17 mil eram correspondentes ao subsídio da Prefeitura; o restante foi arrecadado com várias festas no decorrer do ano. “Lutamos para fazer um grande carnaval e conseguimos. Alguns órgãos de imprensa já davam outra como vencedora antes da hora, mas, no final, prevaleceu o nosso valor”, ressaltou. Ela reclamou de falta de respeito de um jornal do qual não quis revelar o nome. “Nossos integrantes se sentiram menosprezados e desrespeitados”, reclamou.

Fábia Natália Bueno, 16 anos, porta-bandeira da primeira colocada, também celebrou a superação. “O meu mestre-sala ligou nos últimos momentos avisando que não poderia desfilar. Faltando meia hora para a apresentação, improvisamos um membro da bateria. Mesmo assim as nossas notas foram 10 de um jurado e 9,5 de outro”, comemorou. O responsável pela substituição foi Vítor Canassa. “Cheguei a fazer aulas de dança, mas nunca tinha sido mestre-sala. Fiquei assustado, mas fiz o que qualquer outro membro faria pela escola. Fico feliz por ter correspondido”, contou.

Presidente da vice-campeã “Estrela da Vila”, Ianaê Tobias disse que 1,5 é uma diferença muito pequena, e que se sente como se tivesse vencido. “Infelizmente os jurados não poderiam sequer comparar a nossa Comissão de Frente, que era muito superior. Enfim, para o ano que vem, esperamos julgadores melhores”, avisou.

Já a terceira colocada, "Planeta Negro", teve 156,5 pontos e lamentou o mal-entendido no número de integrantes da sua Comissão de Frente, que fez a escola perder 5 pontos, o que tirou a possibilidade do título. “É exigido que a ala tenha pelo menos seis membros. Nós levamos quatro para dançar e duas musas. Os jurados deram nota máxima, mas a comissão do desfile não entendeu dessa forma. Uma pena”, disse Bernardino Francisco, presidente da escola.

O resultado final das outras escolas foi o seguinte: 4ª, "Carinhosa do Nova Esperança" – 155,5; 5ª "Show Brasil" – 154,5; 6ª "Unidos do Cativeiro" – 152; e 7ª "Império do Parque das Águas" – 143.

3 de mar de 2011

SEMANA DO HIP HOP SP 2011 – HIP HOP COMBATENDO A VIOLÊNCIA CONTRA A JUVENTUDE NEGRA.


Hip Hop paulistano diga Oooh! Diga Oooh!



SEMANA DO HIP HOP 2011 – HIP HOP COMBATENDO A VIOLÊNCIA CONTRA A JUVENTUDE NEGRA.

O Fórum de Hip Hop Municipal SP em parceria com a prefeitura, representada pelas secretarias de Cultura, Educação e Participação Parceira realizarão a Semana do Hip Hop 2011, lei municipal 14.485/2007, que será executada de 13 á 21 de março, na cidade de São Paulo. Nas mesas de bate papo o Movimento Hip Hop junto com a sociedade civil e poder público dialogarão sobre o tema Hip Hop Contra a Violência. As atividades acontecerão na Câmara Municipal de São Paulo, Galeria Olido, quatro CÉUS, e Boulevard São João para finalizar atividades. Além das apresentações artísticas haverão workshop´s dos quatros elementos, produção musical, moda, literatura. Você não pode ficar fora dessa, venha fazer barulhoooo!



Apesar da Semana do Hip Hop 2011 representar uma conquista do Movimento Hip Hop, não teremos somente atividades festivas ou comemorativas. A organização preparou consideráveis intervenções reflexivas e de diálogo com o poder público em importantes espaços paulistanos, na periferia e no centro.



Fórum Hip Hop Municipal SP
Criado em 2005 é um espaço e canal de diálogo entre os jovens do Movimento Hip Hop e as representações da administração pública municipal com objetivo de discutir políticas públicas e criar critérios públicos que direcionem a relação entre o poder público e os jovens, garantindo que não haja privilégios de uns em detrimento de outros setores.

Os encontros e discussões do Fórum ocorrem a partir de 8 eixos temáticos:

Difundir o Hip Hop

Elaborar políticas públicas de juventude

Inserir o Hip Hop como tema transversal da educação

Combater a discriminação de gênero

Organizar uma agenda do Hip Hop na cidade

Combater a discriminação racial

Atuar contra a violência policial

Debater geração de emprego e renda