15 de dez de 2010

Festival Super Contra 2010

Programação Festival Super Contra 2010.



1º Dia 18 DEZ – Território Jovem – Ipiranga (prox ao Julio de Mesquita)

Entrada franca – das 17hs as 22h.





17h - Abertura com EuMesmo Angelo.

17h15 – Dj Ratão

18h00 – Black Roby

18h25 – Banca Forte de Cristo

18h50 – Spok e a VS

19h15 – Alerta

19h40 – GangStars

20H – Super Contra – Batalha de Mcs - apresentação Mamute.

21hs – DJ Rjay.

21H30- Dafina - SP

21H50 – Nuscorre - SP

22h30. Encerramento EuMesmo, Mamute e Dj Ratão.



Durante o evento teremos exposição de artistas plásticos, encontro de Graffiti e Game of Skate.





2º Dia 19 DEZ – Pista de Skate Ipiranga.

Entrada franca das 13h às 22h.



13h. Abertura – EuMesmo Angelo – Djs Ratão ,Bemblack, Colorado.

13h15. Inicio do campeonato de skate SC – Surfista di Calçada.

16h Best Tricks Patins.

16h30 Set Dj Subrinho.

16h55 Multiplosom

17h20 - 13 Volts

18h50 – Set Dj Rjay

18h15 – X da Questão

18h45 – Lançamento da Demo EuMesmo Angelo.

Part.SoroBeatz76 - Submundo Paralelo.

19h30 – Super Contra Batalha de Mcs.

20h15 – Enigmatiko e Sujeira Brasileira – SP

21h - Dj Pita

21h25 - X4

22h - Encerramento com o som Super Contra.

18 de out de 2010

Mano Brown dos racionais MCs vota em Dilma

Mano Brown vota em Dilma: “povo não quer ser tratado como gado”


O rapper Mano Brown, dos Racionais MC´s, gravou depoimento de apoio à petista Dilma Rousseff, candidata à Presidência da República. Segundo Brown a vitória de Lula significou “o marco de ver um operário, um nordestino, um homem do povo ser ser aquilo que a gente quis que ele fosse”. Para o rapper, agora é preciso votar em Dilma para ela continuar as mudanças promovidas em seu governo.


De acordo com Brown, o segundo mandato de Lula visto das ruas marca o momento em que as coisas começaram a acontecer, se transformar: “parecia até um sonho, um milagre”. “Tudo que eu acreditei desde a minha adolescência e tal, ele honrou, ele vingou. Eu acompanhei”, comenta.


Ele defende que Dilma é quem tem condições de dar continuidade ao projeto de desenvolvimento do Brasil, onde as pessoas sejam tratadas como gente e não como “gado”, como “número”.


“Eu vou votar na Dilma, certo? Fechou”, diz em vídeo produzido pelo PT. O rapper acredita que o melhor caminho para o “trabalhador” e para “povo sofrido” é dar continuidade ao que o Lula fez e a melhor alternativa é Dilma. “A massa, a maioria necessita de alguém que tenha sentimento por eles, que os veja não como número, como gados”. Veja abaixo o vídeo:

5 de out de 2010

No Forno: em estúdio, Filosofia de Rua libera música nova para download




DJ Man, Braiam, Canhoto e Ugli C.I.

Uma ótima notícia para a história do rap brasileiro: com quase 20 anos de estrada, o grupo Filosofia de Rua está em estúdio preparando um novo disco, com sua formação original quase completa. DJ Man, Canhoto, Braiam e Ugli C.I. têm gravado novas canções. "Voltamos com a mesma positividade que sempre marcou nosso trabalho", afirma DJ Man.


O Filosofia de Rua acaba de liberar um ´aperitivo` para os fãs. A faixa “4 vozes pra rimar (É o Filô)” mostra que os MCs continuam afiados e com uma musicalidade bastante atual. Paralelamente às gravações de seu sexto álbum, o grupo tem mantido um blog em que, além de relatar como anda a produção do novo trabalho, têm entrevistado alguns expoentes do hip-hop brasileiro, como MC Marechal, Walter Limonada e King. O novo álbum do Filosofia de Rua, ainda sem título definido, tem previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2011 - comemorando os 20 anos de existência do grupo.

entre no site www.centralhiphop.com.br

25 de ago de 2010

O Rapper MV Bill confirma participação no seriado "Malhação", da Globo



"Ao aceitar o convite, pensei que pudesse estar ajudando a modificar um formato do qual sempre discordei. Sempre critiquei as novelas, mas também me coloquei aberto a dialogar. Vi que havia uma disposição da Globo para mudar as coisas, estar mais próximo das pessoas que vivem no meu mundo. Não participar de algo que sempre quis mudar seria uma contradição", diz MV Bill sobre sua participação no seriado Malhação, da Rede Globo. O rapper será Antônio, um professor de matemática flexível com os alunos e linha duríssima com a filha Júlia (Dandara de Morais), num contexto em que se falará sobre periferia, romances inter-raciais e bolsas estudantis.


Em sua vida particular, MV Bill continua morando na Cidade de Deus e é lá que ele dá suas entrevistas. O dinheiro que entrou após a fama é destinado aos projetos sociais, ao selo próprio, aos documentários e até a uma grife – ele vende, pela internet, roupas e acessórios.


Fonte: Jornal Zero Hora

10 de ago de 2010

A Rima Denuncia, primeiro livro de GOG, terá 48 letras



Está previsto para os próximos dias o lançamento do livro A Rima Denuncia, primeira incursão do rapper GOG pela literatura. Organizada com a ajuda do professor de literatura Nelson Maca, do coletivo Blackitude (Bahia), a obra terá 48 letras de autoria de GOG, que também é conhecido como O Poeta - e tido como um dos melhores letristas do rap brasileiro.


"No livro, as letras terão breves relatos e explicações sobre quando e como surgiram as ideias, além de como as músicas foram gravadas e quem participou de cada um desses momentos. São 48 letras, de diferentes momentos da minha carreira", adianta GOG, que, desde 1992, já lançou nove álbuns e um DVD. "Futuramente, também quero lançar um trabalho de caráter mais didático, que possa mostrar que as rimas do rap também têm critérios técnicos, que têm fundamento literário."


No momento, além de preparar-se para o lançamento de A Rima Denuncia, GOG também trabalha nas composições de seu 10º álbum, para o qual tem solicitado sugestões de temas aos fãs, através da internet. Pelo seu perfil no Twitter, o Poeta já adiantou os nomes de pelo menos seis músicas que deverão fazer parte do novo trabalho, previsto para ser lançado no dia 20 de novembro - Dia Nacional da Consciência Negra: "África tática", "O grande dia", "O circo", "Novos ventos", "Aos 45" e "Dia D".


[+] Acesse o MySpace de GOG
[+] Siga GOG no Twitter
[+] Assista ao clipe de "Brasil com P", do DVD Cartão Postal Bomba

8 de ago de 2010

Wyclef pode se tornar o primeiro rapper presidente do Haiti



Pela Web: Wyclef Jean confirma candidatura a presidente do Haiti


Wyclef pode se tornar o primeiro rapper presidente

Seis anos depois de lançar a música "If I was president", em que brincava com a suposição de tornar-se presidente da República (no caso, dos EUA), o músico haitiano Wyclef Jean anunciou, nesta quinta-feira (5/8), que é candidato à Presidência do Haiti. Ele disputará as eleições do dia 28 de novembro pelo partido Viv Ansanm ("Viver Juntos").


Se for eleito, Wyclef entrará para a história como o primeiro rapper a assumir a Presidência de seu país. Revelado com o grupo de rap Fugees (do qual também saiu a diva Lauryn Hill), o MC multi-instrumentista obteve êxito musical fundindo seu rap a outros gêneros diversos, como jazz, soul, reggae, rock e até ritmos caribenhos e samba. Já lançou seis álbuns solo, além de dois com o Fugees. Apesar de gozar de popularidade mundial, o músico deverá enfrentar algumas críticas por não viver permanentemente no Haiti há mais de 30 anos. Nascido em 1972 na cidade de Croix-des-Bouquets, ele emigrou para os EUA aos nove anos de idade e foi criado no Brooklyn, em Nova York.


Em alguns versos da curiosa música "If I was president", de 2004, Wyclef canta: "(...) instead of spendind billions on the war, we can use some of that money, in the ghetto" (algo como "(...) ao invés de gastar bilhões com a guerra, podemos usar um pouco desse dinheiro no gueto"). Já no refrão da música, Wyclef diz: "If I was president, I´d get elected on Friday, assassinated on Saturday, and buried on Sunday" ("Se eu fosse presidente, seria eleito na sexta-feira, assassinado no sábado e enterrado no domingo").


[+] Veja o vídeo em que Wyclef se lança candidato
[+] Assista ao clipe de "If I was president" (2004)
[+] Acesse o site oficial de Wyclef Jean
[+] Siga Wyclef Jean no Twitter

29 de jul de 2010

GRUPO 13 VOLTS LANÇA SINGLE DE GUERREIRA FEITICEIRA

















Baixe o Single do grupo 13 Volts

Baixe a Musica Guerreira Feiticeira no link: http://www.4shared.com/audio/cm4_9ts6/13_volts_-_guerreira_feiticeir.html"


O grupo de Rap/Hip Hop 13 Volts foi formado no final de 2002, com o objetivo de fazer de suas musicas, ações direcionadas à paz, união, amor e diversão. O MC Bruxo SR e Márcio Brown convidaram o MC Seco e DJ Subrinho a somarem forças ao novo projeto, pois cada um deles já trás consigo experiências de outros grupos que chegaram ao fim. Cada um destes integrantes fez parte de importantes grupos nos anos 90, tais como: Sistem Rap, DMR (Dança Movimento e Ritmo), Fora do Crime, Custo Fatal e Alvos do Sistema, onde juntaram vasta experiência fortalecendo ainda mais a união e profissionalismo do grupo 13 Volts.


Foi com seu primeiro repertório, que o grupo 13 Volts realizou shows por toda região de Sorocaba, chegando a produzir um cd com 09 faixas onde teve a produção independente assinada por Bruxo SR e um remix da faixa “Só Somzera” produzida por DJ Silvio Muller que também assina a edição e masterização deste trabalho no ano de 2006. Chegando a tocar com grandes nomes do cenário Rap/Hip Hop do Brasil tais como: Racionais MCs, RZO, Sabotage, Função RHK, Realidade Cruel, Apocalipse 16, RPW, AO Cubo, DBS e outros. Com os pagodeiros do grupo Nossa Ginga, tiveram algumas participações especiais em shows ao ar livre e casas noturnas da cidade, com o grupo Caso Sério atual Caso Certo, participaram do CD da banda na faixa “Minha Pátria Mãe”. Participaram também do festival Votobandas, tiveram musicas do primeiro trabalho executadas em diversas rádios da região, em trabalhos de estudantes universitários e também tocadas por muitos DJs de Hip Hop e Black Music na região de Sorocaba.


Em 2010, o grupo 13 Volts iniciou as produções de um novo trabalho e ganhou mais um integrante, o vocalista Kiko que chegou pra fortalecer a nova proposta do grupo onde já estão em fase de finalização do Single da música Guerreira Feiticeira, com mixagem do DJ Silvio Muller. Esta música tem uma abordagem de respeito: a valorização da mulher brasileira, colocando-a como peça principal no crescimento da vida do homem e da sociedade nos tempos de hoje. Guerreira Feiticeira começa a virar Hit nas comunidades em Sorocaba, sendo bem aceita por todos onde o grupo faz show, recebendo fartos elogios do publico presente, principalmente das mulheres.



Contatos para Show:
15. 9701.5900 / 9128.1534 / 9121.0956
www.myspace.com/grupo13volts
Email: grupo13volts@gmail.com

27 de jul de 2010

Wyclef Jean pode concorrer à presidência do Haiti


“O músico Wyclef Jean, 37, ex-membro da banda Fugees, está considerando concorrer à Presidênica do Haiti em novembro, de acordo com uma declaração de sua família. As informações são do jornal britânico ´Guardian´. Os rumores têm circulado há algum tempo, mas segundo os familiares, o músico ainda não decidiu se está preparado para ficar cinco anos como líder do país. ´O comprometimento de Wyclef com sua terra natal e a juventude não tem fronteiras, e ele permanecerá dando apoio mesmo se não fizer parte do governo. Quando ele tomar uma decisão, será comunicada imediatamente à imprensa´, diz o comunicado.”



[+] Leia a íntegra desta notícia
[+] Visite o MySpace de Wyclef Jean
[+] Siga Wyclef Jean no Twitter
[+] Conheça o site oficial do artista


Fonte: Folha Ilustrada

Rincon Sapiência assina com a Midas Music

Foto: Twitter de Rick Bonadio

O MC Rincon Sapiência assinou no dia (22/7) contrato com a Midas Music, selo do renomado produtor Rick Bonadio, ligado à Arsenal Eventos. O anúncio foi feito pelo próprio produtor, através do Twitter, onde o mesmo até postou uma fotografia que comprova a nova parceria.



Desde algumas semanas atrás, Rick Bonadio vinha se desmanchando em elogios ao "elegante" MC da zona leste de São Paulo, manifestados através da própria rede de relacionamentos. Por volta das 19h desta quinta-feira, confirmou: Rincon Sapiência assinou contrato e, agora, faz parte do cast da Midas Music. Nos próximos dias, devem ser divulgados detalhes sobre o trabalho que o MC deverá desenvolver junto ao selo.

28 de jun de 2010

LAURYN HILL VOLTA AO BRASIL EM SETEMBRO


A cantora Lauryn Hill faz turnê no Brasil em setembro deste ano. Segundo o Twitter oficial da rede Credicard é Show, a ex-integrante do Fugees toca em Florianópolis no dia 3 de setembro no Stage Music Park; no dia 6 no Citibank Hall no Rio de Janeiro; em São Paulo, no dia 7 de setembro, no Credicard Hall e termina a viagem com um show em brasília no dia 12 na Prainha da ASBAC.

Ainda segundo o Twitter da Credicard, a pré-venda exclusiva de ingressos para os clientes da rede vai do dia 12 de julho ao dia 18 de julho. Ainda não há informações sobre o preço das entradas.

Lauryn Hill se apresentou no Brasil pela última vez em junho de 2007, com dois shows em São Paulo e um no Rio de Janeiro.

24 de jun de 2010

Se liga! 5º Hip Hop Celebrando Vidas de Itapetininga


PROGRAMAÇÃO DAS APRESENTAÇÕES.

Dia 27 de Julho de 2010 / Inicio as 12h00 / Local Escola Prof. Sebastião Villaça.

Abertura Saudando a todos 11h55min.

1° Bloco. 12h00min.
DJ – PERFORMANCE – 20min
B.boy´s – 20min
Rap – REVOLUÇÃO DO IMPÉRIO 20min
MC – Mestre de Cerimônia - 5min

2° Bloco 13h05min.
DJ – PERFORMANCE - 20min
B.boy´s - 20min
Rap – CONDDUTA X 20min
MC - Mestre de Cerimônia - 5min

3° Bloco 14h10min.
DJ – HOMENAGEM A MICHAEL JACKSON – 30min
B.boy´s – 20min
Rap – PROPOSITAL 20min
MC – Mestre de Cerimônia - 5min

4° Bloco. 15h25min.
DJ – PERFORMANCE – 20min
B.boy´s – 20min
Rap – IDODJE "VIDA LUCIDA (COTIA-SP)" - 20min
MC – Mestre de Cerimônia Encerramento - 5min

14 de jun de 2010

Mano Brown e Jorge bem com grande time no clipe Umbabarauma

Estreiou o clipe oficial de “Umbabarauma”, regravação do clássico “Ponta de Lança Africano (Umbabarauma)”, do disco “África Brasil” (1976) de Jorge Ben Jor. Realizada em março de 2010 no estúdio YB, em São Paulo. Versão por Jorge Ben Jor e Mano Brown. Música produzida por Daniel Ganjaman e Zegon. Co-produção Gabriel Ben Menezes. Vocais de apoio por Negresko Sis (Anelis Assumpção, Céu e Thalma de Freitas). Instrumental por Duani Martins, Gustavo Da Lua e Pupillo. Vídeo por Big Bonsai. Produção executiva Kultur Studio. Realização Nike Sportswear.


24 de mai de 2010

Dj KlJay e Ed Motta tocam Stevie Wonder

Dj KlJay e Ed Motta tocam Stevie Wonder

Muito bom galera. Eu recomendo!

Stevie Wonder completa 60 anos no dia 13 de maio de 2010. E para comemorar, o aniversário do músico norte-americano, iG promoveu o encontro inusitado entre Ed Motta e KL Jay (Racionais Mc´s).

Assista abaixo à mistura das pick-ups de KL Jay com o vozeirão do professor Ed Motta.


20 de mai de 2010

Fernandinho Beat Box – Samba de Boca

Se nos Estados Unidos o Beat – Box se tornou popular pelas performances de artistas como Doug E. Fresh e mais recentemente por Rahzel, fazendo simulações dos grandes hits do RAP, no Brasil temos o Fernandinho para incorporar a essa manifestação os elementos do Samba, do Baião, bem humoradas campanhias de aparelho celular e até mesmo melodias de gaita.

Fernandinho ficou popular já no primeiro grupo de RAP que fez parte, o ZÁfrica Brasil, onde obteve reconhecimento de diversos artistas e vários produtores culturais, passando a ministrar oficinas em diversos projetos como o “TIM Música nas Escolas” e a Casa do Hip Hop de Diadema.

Sua originalidade fez com que ultrapasse as barreiras comerciais do RAP e gravasse com artistas de outros gêneros como, por exemplo, Marisa Monte, Fernanda Abreu e Instituto.

Há mais de três anos, sua parceria com Marcelo D2 fez popularizar ainda mais seu trabalho, o levando para grandes eventos na França, Portugal, Suécia e outros lugares da Europa.

Já se apresentou ao lado de artistas como Gabriel o Pensador, DJ Pogo, Rahzel e Lenine, além disso participa frequentemente de eventos institucionais para empresas como a Motorola, a OI e em comerciais de TV.

No momento ao lado de alguns parceiros, Fernandinho prepara seu primeiro disco solo. E o Portal Rap Nacional estreia na internet o vídeo clipe da faixa Samba de Boca que fará parte do disco “Projeto 35″

Assista o vídeo da música Samba de Boca:


28 de abr de 2010

Poesia de Vinicius de Moraes disponível para download




Toda a obra de Vinícius de Moraes está agora livre para downloads na Brasiliana, biblioteca digital da USP. O lançamento da coleção completa foi na segunda-feira (26), durante o Simpósio Internacional de Políticas Públicas para Acervos Digitais. Foi uma festa: um ônibus equipado com iPads e Kindles levou os presentes para dar uma voltinha com a obra do poeta.


Vinicius de Moraes (Rio de Janeiro, 1913-1980) é nome dos mais significativos na vida cultural brasileira do século XX. Além de poeta, bem acolhido pela crítica do tempo e festejado como poucos pelo público leitor, foi autor de teatro, com destaque para Orfeu da conceição (1956), e crítico de cinema e cronista de colaboração regular na grande imprensa do país. Com o advento da Bossa Nova, na segunda metade da década de 1950, intensificou sua atuação como compositor e letrista, tornando-se uma das figuras centrais da música popular brasileira.


[+] Saiba mais



Fonte: Estadão, Biblioteca Digital Brasiliana

23 de abr de 2010

rapper Thaide integra elenco de programa jornalístico inédito

Thaide na TV Band no programa A LIGA

Rapper Thaide na Band
Rapper Thaide na Band

Com estreia prevista para o próximo dia 4 de maio, na TV Bandeirantes, o programa "A Liga" é liderado por Rafinha Bastos com produção da Cuatro Cabezas, a mesma do "CQC". Além de Bastos, o programa contará com o MC e apresentador Thaide, a jornalista Débora Villalba e a atriz Rosanne Mulholland. O quarteto irá produzir conteúdo jornalístico crítico que mostrará situações da realidade com humor e acidez. De acordo com o colunista Flávio Ricco, o programa é uma das grandes apostas da emissora para esse semestre e será transmitido no lugar de "E24", a partir das 22h 15min

[+]
Clique aqui e assista ao teaser do programa

Conheça o rapper mirim CAUAN

Na Rima o Futuro do Hip Hop


CAUAN

No ultimo dia 23/03 o Brasil pode conferir o talendo do garotinho Cauan de apenas 6 anos ao se apresentar no programa Qual é o Seu Talento no SBT.

Representando o RAP Cauan arrebentou fazendo com que o publico vibrasse e os jurados se rendessem ao seu talento.Miranda um dos jurados do programa se levantou e foi cumprimentado no palco.Com apenas 6 anos Cauan vem se destacando desde o ano ano de 2009 quando se apresentou na Band no Programa da apresentadora Marcia Goldsmith chamando assim a atenção da produção do programa Silvio Santos.Apresentando -se ao lado da apresentadora mirim Maisa e do proprio Silvio Santos o pequeno Mc ja mostrava a que veio e agora no ano de 2010 com seu cd solo em fase de produção Cauan se classificou para a fase semifinal do programa.Integrante da Banca Reviravoltra Mafia e do grupo Vigilantes Mc’s, Cauan acabou de gravar a musica APERTA O PLAY com a dupla de repentistas Caju e Castanha e acompanha a dupla pelo brasil e suas apresentações uma peculiaridade acompanha o grupo “Desde a chegada do Cauan no grupo muitas crianças agora estão indo aos nossos shows para velo isso é muito gratificante pois é uma nova geração do RAP que se forma”Diz JR Pai do Cauan.

O video esta postado no youtube a pouco mais de uma semana e ja conta com mais de 28 mil acessos é só conferir.

Produzido por Erick 12 o cd estara em breve nas ruas com aproximadamente 10 faixas e algumas participações.

É o RAP nego

15 de abr de 2010

Nossa Cara Preta agora é uma revista impressa

Nossa Cara Preta revista-informativo impresso, mensal, de exposição e divulgação da Cultura Negra e Hip Hop de Raiz, tem o objetivo de fortalecer e dar visibilidade aos elementos DJ, MC, B.Boy e Graffiti do interior paulista e destaques para a região de Sorocaba e o que rola no Hip Hop Brasileiro .


A primeira edição com destaque para aos 7 anos da morte do maestro do Canão Sabotage e o grupo X DA QUESTÃO e indicações de livros, cds, dvds, sites, blogs, myspace e Twitter na contra capa.

Veja revista on-line no www.issuu.com/nossacarapreta e envie sugestões, criticas e materiais pra divulgação para nosscarapreta@gmail.com



14 de abr de 2010

Novo CD do Mv Bill nas lojas

Já nas lojas o novo CD do Mv Bill

mvbill

Álbum: Causa e Efeito
Ano:
2010

Selo:
Chapa Preta

Direção Artística:
MV Bill

O rapper, escritor e cineasta MV Bill lança o seu quarto CD intitulado “Causa e Efeito“. O disco foi gravado no Rio de Janeiro e o próprio MV Bill assina a direção artística. O novo álbum contou com a colaboração de diversos produtores do Brasil, entre eles o DJ KLJ dos Racionais MC’s, e do exterior, o coletivo alemão Kingstrumentals.


O single lançado no ano passado foi com a música “O Bonde não para” que teve seu videoclipe dirigido e roteirizado por MV Bill. Lançado e premiado na MTV Brasil, foi amplamente exibido no canal e em emissoras regionais. Pioneiro, foi o primeiro videoclipe de Rap Nacional a ocupar o primeiro lugar no MTV OVERDRIVE.


O disco “Causa e Efeito” conta com participações especiais de Chuck D. (líder do grupo de Rap americano Public Enemy) na música “Transformação“, que tem arranjos de violinos de DJ Luciano. A faixa “Cidadão Refém” trás a participação de Chorão (Charlie Brown Jr.). Assim como em trabalhos anteriores, MV Bill divide grande parte dos vocais com sua irmã KMILA CDD, e nesta forma inédita, apresenta uma faixa exclusiva com ela nos vocais intitulada “Kmila CDD “.


Junto com o disco, chega também ao grande público o vídeo da música “Corrente“. O clipe filmado em Porto Alegre, com direção de Gustavo Tissot, é uma parceria entre Chapa Preta (produtora de MV Bill) e Margarida Prod.

Confira abaixo a capa do disco:


Acesse a rede oficial:

Site oficial: www.mvbill.com.br

YouTube: www.youtube.com/mvbillcdd

Myspace: www.myspace.com/mvbill

Blog Pessoal: www.mvbill.blogspot.com

Twitter: www.twitter.com/mvbill


Premiações

Prêmio da Unicef (Desenvolvimento social junto à Juventude);

Prêmio Unesco (10 pessoas mais militantes do mundo) Fórum Mundial de Cultura em Barcelona;

Prêmio de “Melhor Documentário do Ano”, Rei da Espanha, das mãos do Rei Juan Carlos;

Prêmio Nick 2009 – Comunicação Jovem;

Prêmio America Green – Desenvolvimento Sustentável;

Prêmio VMB – categoria Rap (MTV) 2009;

Campanha Coca-Cola Verão 2010 “Abra a Felicidade que vem ai”;

Prêmio Arcos Íris 2010 – Combate a Homofobia; Categoria: “Atitude”;

Prêmio Hutuz 10 anos – 4 categorias.

12 de abr de 2010

EU, O VINIL E O RESTO DO MUNDO


vinil

Selecionado para a mostra competitiva do Festival É Tudo Verdade, o longaEU, O VINIL E O RESTO DO MUNDO, com direção de Lila Rodrigues e Karina Ades, conta a trajetória de jovens DJs da periferia de São Paulo.


As diretoras acompanharam 11 DJs na cidade de São Paulo que participam de um campeonato de Djs e que lutam para um dia conseguirem sobreviver fazendo musica. “Fui tocada pela experiência de vida desses meninos e a crença que vi neles em acreditar em um futuro melhor apesar das dificuldades”, conta Lila Rodrigues.


É inusitado ver um filme com esta temática ser dirigido por mulheres, e esse é um dos atrativos do filme. O olhar de uma mulher sobre uma realidade totalmente masculina reflete na tela um filme humano, delicado, onde fica exposto muito mais do que o saber tocar musica. “É um filme que fala sobre esperança. Mostra o lado bom de uma realidade que normalmente é vista sob olhos do medo e preconceito”, completa Lila.



No documentário os rapazes se entregaram totalmente, revelando um pouco de suas vidas para o olhar dessas duas mulheres, num ato de mutua confiança. “Comecei a minha carreira na direção de videoclipes e isso me aproximou muito do universo da musica, essa experiência na direção de videoclipes me fez unir musica e imagem e me apaixonei por isso, essa foi a razão da busca por um assunto onde eu pudesse explorar esse casamento.Aprendi muito sobre a vida com eles e muito sobre este universo. Foi uma experiência muito gratificante”, conta Karina Ades.



A linha condutora do filme é o campeonato onde esses 11 DJs são finalistas. A medida que o filme se desenrola, conhece-se mais profundamente esses jovens e entende-se mais seu universo.


A competição, embora presente durante todo o filme, torna-se coadjuvante enquanto outras questões vão surgindo. Essas questões passam pela influência musical que cada um deles teve até onde cada um quer chegar na vida. A trajetória que os levou a estar neste campeonato e a necessidade de se ter outra profissão em paralelo a de ser DJ. As expectativas em relação ao futuro próximo, as dificuldades e acima de tudo a paixão pela musica e o desejo de um dia poderem sobreviver sendo DJs profissionais.


É a primeira obra de longa-metragem de ambas diretoras, que possuem uma carreira vinda da publicidade, onde atuam como diretoras de cena. “Fico sonhando em poder ajudar esses meninos de alguma maneira com o filme”, comenta Lila. “Eles são muito talentosos e pessoas incríveis”, completa Karina.


O filme acompanha a trajetória de jovens DJs, moradores da periferia de São Paulo, que participam do maior campeonato de DJs da América Latina, o Hip Hop DJ. São jovens de todos os cantos da cidade que mergulharam no sonho da música e através dela buscam construir suas vidas e suas carreiras.


O Portal RAP NACIONAL conversou com a diretora Lila Rodrigues, leia abaixo a entrevista e assista uma cena exclusiva do filme:


Como surgiu a idéia de fazer esse filme?

A idéia surgiu em uma conversa entre o Xis,um dos idealizadores do campeonato de DJs HIP HOP DJ e a Karina, uma das diretoras do filme, que me convidou para criar o filme com ela.

Será lançado em DVD ou será exibido apenas em festivais?

Esperamos que ele seja lançado também em DVDs, assim como entrar em circuito de cinemas das principais cidades do Brasil, além dos festivais pelo mundo.

Vocês já faziam parte da cultura Hip-Hop antes do filme?

A Karina já havia feito alguns videoclipes, inclusive 2 do Xis. Eu ainda era só uma admiradora da musica e da cultura.

Vocês tem projetos futuros com outros elementos da cultura Hip-Hop?

Existe uma idéia de fazermos um trabalho com os B-BOYS(dançarinos de break dance),mas ainda não está em andamento.

O que foi mais importante nesse trabalho, na opinião de vocês?

Acho que o filme vai servir de janela para mostrar a cultura Hip Hop para pessoas que não são exatamente do meio.Isso é muito bom porque pode desfazer antigos paradigmas com relação ao “gueto” e também é um fator de incentivo e fortalecimento para a própria cena e para as pessoas que fazem parte dela.

Que mensagem vocês deixam para os jovens que tem interesse em trabalhar com audiovisual ?

O acesso `a equipamentos e ao conhecimento é hoje muito maior do que há 20 anos atrás quando eu me formava na faculdade de cinema da FAAP. Acho que o jovem tem que aproveitar isso e exercitar o máximo que puder. Mas acho fundamental ele tentar entrar no mercado profissional, seja fazendo publicidade, cinema, ou TV.

É importante aprender como funciona o mercado, quais são as funções de cada um e como essa cadeia toda funciona.

O que o publico pode esperar deste filme?

Quem assistir ao filme vai ver um filme musical, alegre, esperançoso e com informações sobre a diversidade musical que nós Brasileiros temos. Vai ter a chance de conhecer um outro lado das comunidades de baixa renda, que não está associada `a violência e drogas. E vai sentir de perto o que representa ser um DJ de performance. Não é nada fácil fazer o que eles fazem.Tem que ter muito talento.

O filme passa no Festival É tudo Verdade:

Dia 11 de abril, Rio de Janeiro, no Unibanco Arteplex, às 21h

Dia 12 de abril, Rio de Janeiro, no Unibanco Arteplex, às 15h (Praia de Botafogo, 316)

Dia 14 de abril, São Paulo, Espaço Unibanco, 21h

Dia 15 de abril, São Paulo, Espaço Unibanco, 15h (Rua Augusta, 1475)

Ficha técnica:

Direção: Lila Rodrigues e Karina Ades

Direção de fotografia: Kika Cunha e Gu Ramalho

Montagem: Valeria de Barros, Lila Rodrigues e Willem Dias

Trilha Sonora: Diogo Poças

Produção: Paulo Dantas, Karina Ades, Lila Rodrigues

Co-produção: Xis

Direção de Produção: Cristianny Almeida

Produção Executiva: Carol Dantas

Fotografia Adicional: Julia Equi

Assistente de Câmera: Karla Meneguetti

Com: DJ Erick Jay, DJ Rm, DJ Pow, DJ Damente, DJ Pudim, DJ Sleep, DJ Basim, DJ Mf, DJ Max, DJ Buiú, DJ Davi

Participação especial: Xis e KL Jay

28 de mar de 2010

Luto: Rapper Speedfreaks é encontrado morto em Niterói, Rio de Janeiro


Foi sepultado na tarde deste sábado (27) o corpo do rapper Cláudio Márcio de Souza Santos, de 37 anos, mais conhecido como Speed, no Cemitério de Maruí, no Barreto, em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Ele foi encontrado morto na madrugada de sexta (26), no bairro de São Lourenço, também em Niterói. A polícia ainda investiga as circunstâncias do crime.


Familiares do músico, muito abalados, não quiseram comentar o caso. B Negão e Gustavo Black Alien, entre outros amigos de Speed, estiveram no velório.


“Eu era comissário de bordo, larguei meu emprego, há 17 anos, para viver da música por causa dele (o Speed). Eu estava aprendendo música com ele, que sempre me ensinou”, disse, emocionado, o rapper Black Alien, ex-integrante do Planet Hemp.

Marcelo D2 lamentou a morte de Speed


Show cancelado


O amigo e também músico Tigrão contou que ele e Speed tinham um show marcado para a noite deste sábado na boate Fosfobox, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. De acordo com Tigrão, o show foi cancelado.


Tigrão foi uma das últimas pessoas a estarem com Speed. Ele contou que os dois estavam na Cantareira, em São Domingos, em Niterói, na noite de quinta-feira (25). Já de madrugada, às 2h de sexta (26), Tigrão decidiu ir embora, mas Speed continuou no local. Depois disso, o amigo só foi saber notícias do rapper neste sábado.

“A gente suspeita que foram os traficantes que mataram, porque confundiram ele com a polícia. Foi uma covardia”, desabafou Tigrão, que também era vizinho de Speed.


Dj Castro, outro aprendiz do rapper morto, chorou ao falar do amigo. “Vou sentir muita falta desse cara, o principal responsável pelo hip hop em Niterói. Comecei minha carreira com ele, ele tinha um talento fenomenal, um coração enorme. É uma perda infinita”, lamentou.


O também músico e DJ Gilbert Silva estava inconformado. “Ele era super bem-humorado, inteligente, é tudo muito esquisito”, disse ele.

Via. G1

23 de mar de 2010

CELUB LANÇA ACERVO DIGITAL DE CULTURA NEGRA EM ALTO ESTILO


O projeto é uma realização do Celub (Centro de Cultura Urbana) e tem o patrocínio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro.

O lançamento oficial do site do acervo www.cultne.com.br está marcado para o dia 23 de março, com a projeção das imagens digitalizadas e palestra e debate alusivos à cultura negra no Cinema Odeon (Praça Mahatma Gandhi, 2 – Cinelândia). Nos dias 24, 25 e 26, o ciclo de palestras e debates continua no Cinema Nosso (Rua do Resende, 80 – Lapa), com entrada gratuita. Entre as presenças confirmadas estão, além de Vik e Filó, Antônio Pitanga, Zulu Araújo (presidente da Fundação Palmares), Carmen Luz (diretora do Centro Coreográfico) e Ras Adauto (cineasta brasileiro radicado em Berlim, que criou a Enúgbarijo Comunicações com Vik). No dia 27, o evento será encerrado com a festa Usafricarib, no Estrela da Lapa (Avenida Mem de Sá 69 – Lapa), com ingressos à venda no local. A íntegra da programação está disponível no site.


Em www.cultne.com.br, é possível ver depoimentos de personalidades como Pelé, Abdias do Nascimento, Gilberto Gil, Lélia Gonzales, Paulo Moura, Ruth de Souza, Zezé Motta e Grande Otelo, além da campanha feita para o centenário da Abolição em 1988. Há imagens de Nelson Mandela; Desmond Tutu; além dos bastidores da gravação do clipe de Michael Jackson, com o Olodum, na Bahia, em 1996, registrados por Vik; e do show de James Brown no Rio de Janeiro, em 1988, exibido no programa Radial Filó, apresentado por Filó Filho, na extinta TV Rio, na década de 80.


Saiba mais

Com câmeras na mão há 30 anos, um brasileiro e uma inglesa lançam em março o projeto Cultne, o maior acervo digital de cultura negra do País

O brasileiro Filó Filho (Cor da Pele Produções) e a inglesa Vik Birkbeck (Enúgbarijo Comunicações, que significa “boca coletiva”, em iorubá) vivem com uma câmera na mão e há três décadas estão ligados à cultura negra brasileira. Com olhares diferentes sobre um mesmo foco, os dois estão digitalizando todo o seu acervo e colocando no site www.cultne.com.br. Serão cerca de mil horas de imagens, gravadas originalmente em VHS e disponíveis na Internet para visualização e download.

22 de mar de 2010

Oficina de DJ para Mulheres

Hip Hop de Salto - Crew só de DJeias


Já foi a época de reclamar do espaço restrito da mulher no hip hop. O fazer é muito mais importante e é esse o lema que a Applebum, crew formada por cinco DJeias paulistanas, escreveu em sua bandeira.


Prova disso é o Hip Hop de Salto, projeto aprovado pelo Fundo Elas, um misto de oficina, workshop e apresentação, que envolve não só o rap, mas também os outros elementos da cultura hip hop.


As ações começam em março, com a série de oficinas ministradas pelas próprias DJs. Em três meses, as alunas inscritas serão divididas em grupos e terão uma aula por semana na e-djs. As futuras DJeias aprendem técnicas de mixagem e de turntablism – a arte de manipular sons com vinis –, e treinam para uma apresentação em um dos workshops organizados pela crew.


Para se inscrever, envie nome completo, telefone e o motivo pelo qual gostaria de fazer parte das oficinas do Hip Hop de Salto para o e-mail hiphopdesalto@gmail.com. Aguarde uma resposta da equipe confirmando sua participação. Boa sorte!

21 de mar de 2010

Um adeus a Rainha do Rap


Um Adeus à Rainha do Rap

Data: 20/03/2010

Capa por Alexandre De Maio
Capa de seu último disco

Morre Dina Di, grande guerreira do Hip-Hop brasileiro

Com uma vida nada fácil, ela foi a primeira a esmurrar a porta do barraco brasileiro e anunciar as mulheres no Rap. Uma mina de fato, como poucas dentro do Hip-Hop. A atitude e a força na voz a fazem a "Rainha do Rap", eternizada mesmo após a confirmação da sua morte às 23h 30min de sexta-feira (19). Vítima de uma infecção hospitalar após o parto da filha no último dia 2 de março, Dina Di deixou o mundo que nem sempre lhe foi o melhor lugar e partiu. No legado ela deixa o estilo e a rima na ponta da língua.



Tinha o rapper na carne e transformava as feridas arrombadas em letras. Dos CDs gravados, ficou conhecida após se apresentar como "a noiva de chuck" e o casamento só aconteceu há pouco tempo. Conheceu o Hip-Hop aos 16 anos e escondida em roupas largas e bonés, apresentou as primeiras rimas, sempre defedendo o universo feminina. Morreu após dar a luz, na maior representação feminina que existe, o parto e o nascimento de um filho. Por ser conhecida, tem a história divulgada. Vítima de mais um sistema de saúde falido no nosso país. Com a visão que tinha da rua, montou um grupo de mesmo nome e gravou três CDs que ganharam os guetos rapidamente. Entre as vozes femininas do Rap, Dina Di foi quem mais levantou a bandeira do movimento.


Vítima do próprio sistema que tenta combater, viveu uma vida literalmente à margem da sociedade. Não teve tempo de amamentar a filha como deveria e nem de vê-la crescer. Deixou mais uma, entre as milhares do Brasil, criança sem mãe neste país que não é pátria. Mesmo sendo quase invisível no sistema que o Hip-Hop combate, ela foi uma denúncia andante, conceituou o Rap na carne. Sempre teve medo de descer do palco e ver a Dina Di morrer. Antes de ir para o hospital, estava agendando shows por todo o Brasil. Não deu tempo de visitar Poços de Caldas.


Antes de se tornar conhecida, perdeu as contas de quantas vezes passou pela Febem desde que fugir de casa, aos 13 anos. O pai de Dina Di era mestre de obras e morreu engasgado com um pedaço de carne num boteco, na periferia. A mãe dela era camelô e foi assassinada dentro de casa, uma morte lenta e dolorosa, ela foi asfixiada com um pedaço de pano que lhe enfiaram na garganta, enquanto estava amarrada com os fios do varal de roupas. Mas, nada disso a impediu de escrever com as vísceras e alma, relatando todas as dores que a perfuram.



Certa vez uma reportagem foi finalizada com a seguinte frase: "(...) diante de milhares de sobras humanas com voz e com raiva, Dina Di e os seus têm chance de não morrer no beco". Que pena que o otimismo não foi o suficiente. Ela morreu antes da hora. Se foi antes do tempo. Não ensinou tudo que podia e nem cantou tudo que queria. Mas, talvez nós, que acompanhamos esta trajetória e sabemos das dores de sermos tachados de trapos humanos consigamos melhorar um pouco a nossa periferia, a nossa volta e não percamos mais mulheres para a saúde falida do nosso país.


Guerreira, vai com Deus, vai em paz! Hoje o Hip-Hop chora: paz, amor, diversão e união a todos irmãos que compartilham a mesma dor desta perda horrível! Rainha, tá doendo muito, viu!


A FAMÍLIA HIP-HOP BRASILEIRA PRESTA SUA HOMENAGEM

"Essa notícia foi um baque e deixou meu sábado muito triste. Dina Di foi uma grande representante do rap feminino e brasileiro. Uma guerreira muito importante, que fez as mulheres ganharem mais respeito na cena. Com a perda dela, todos nós perdemos um pouco da nossa força. Espero que, agora, ela consiga a paz que todos nós procuramos."
(Thaide)



"Hoje, o rap se cala em homenagem a você, guerreira, mulher brasileira, que sempre teve compromisso com a música e com a verdade. Contava em suas letras, de uma maneira franca e direta, a dura rotina que levava, representando em seus versos e rimas milhares e milhares de mulheres. E, tragicamente, morreu no auge do Ser mulher, após dar à luz uma vida. Todo meu sentimento e que Deus possa confortar essa família, em especial à pequena Aline."
(Negra Li)



"Muita tristeza em receber essa notícia, infelizmente não perdemos só uma amiga, e sim um grande mulher, uma guerreira e mãe lutadora. Na minha opinião uma das maiores MCs do Brasil. Força para a família, para os amigos e todos os fãs. Deus sabe de tudo."
(Biofa - Parábola)



"Dina Di foi uma pessoa muito batalhadora, mãe dedicada e muito talentosa no rap. Viveu uma realidade difícil e venceu. Uma pessoa maravilhosa e de muito carisma. Tive a honra de conhecê-la e participar de eventos junto com ela, que abriu portas para outras mulheres no Hip-Hop. Desejo muita força à família dela. Fica o exemplo de uma guerreira que sempre segurou a onda."
(Nelson Triunfo)



"Dina Di foi a primeira mulher que eu ouvi a fazer rimas realmente pesadas, teve uma vida de filme, com muita angústia e sofrimento. Tive oportunidade de conhecê-la, foi uma artista que não colheu os frutos do rap na minha opinião, a infecção hospitalar é um dos retratos das mazelas na saúde brasileira. Respeito máximo pro Visão de rua."
(Beve - Irmandade Negra)



"Triste demais! Dina Di: mulher, irmã, mãe e grande artista. O Hip-Hop perde muito e o Brasil, mais ainda! Esteja em um bom lugar, amiga!"
(GOG, via Twitter)



"Conheci a Viviane há 17 anos. Foi amiga, parceira, e demos muitas risadas na vida. Com certeza ela irá deixar muitas saudades. Peço a Deus que tenha muito cuidado com ela. Uma grande mãe, mulher e irmã, assim é como vou definir esta guerreira chamada Dina Di. Agora, fica a lição de amar e respeitar quando se está perto, pois depois ficam somente as saudades."
(Japão - Viela 17)



"Mais uma grande perda no rap. Fiquemos felizes por ela um dia ter vindo, dito o que disse, feito o que fez. Não que isso mate a tristeza da perda, mas reforça sua grandeza. Descanse em Paz, eterna guerreira do Rap!"
(Emicida, via Twitter)



"Guerreira, pioneira, rimadora, mãe, esposa. Humana. Respeito e Paz pra Dina Di."
(Kamau)



"Dina Di foi um incentivo moral pra todas as mulheres que estão no Rap hoje levar adiante o seu sonho. Ela é a prova de que mulher também pode fazer um bom Rap, ela tem uma história de garra e muita luta, venceu vários obstáculos e sem dúvidas é e sempre será um grande ícone pra nós, tanto mulheres como também para os homens!”
(Lya - As Donnas)



"Não cheguei a conviver com a Dina Di, mas sempre fui fã dessa guerreira. Uma mulher de muita luta, fibra, que sempre foi linha de frente e nunca deixou a peteca cair. Ela foi um exemplo de poesia positiva que levou e ainda vai levar esperança para muita gente. Pena que, em vida, ela não recebeu o reconhecimento à altura do que merecia."
(Criolo Doido)



"Estou muito triste pelo falecimento de Dina Di. Que a sua força e expressão sejam herdadas pelos seus. O povo precisa de rebeldia, de revolução. Rest In Power, Dina Di!"
(DJ Laylo, via Twitter)



"Para grande parte dos MCs brasileiros, e eu me incluo nesta lista, Dina Di foi e continuará sendo uma grande influência. O Visão de Rua foi um marco no rap brasileiro, principalmente pelo pioneirismo de colocar a voz feminina na cena. Ela foi uma guerreira de muita voz ativa, que nos deixa como herança músicas muito bonitas e sentimentais."
(MC Rashid)



"Graças a Deus tive a honra e o privilégio de dividir o palco com a saudosa e eterna Dina Di em 2008, na Febarj, Lapa (Rio de Janeiro).
Vou orar pela sua alma, que com certeza neste momento está nos céus."
(Lindomar 3L, via Twitter)



"Perdemos uma grande mulher, que representou muito dentro da cultura Hip-Hop, com talento e personalidade. Dina Di deixa um grande legado pras pessoas e sempre será uma forte referência na nossa cultura. Deixo meus sentimentos aos familiares e às pessoas próximas dela. Dina Di, que Deus a tenha."
(Sombra)



"A primeira mulher que ouvi fazendo rap nacional foi a Rúbia do RPW e, na sequência, a Dina Di. Pude conhecê-la pessoalmente numa oportunidade no Rio de Janeiro, mais foi um papo rápido, em que o tempo só me permitiu dar um disco do Daganja e falar o quanto as letras delas foram importantes para minha formação no rap. Não acredito que a vida acabe com a matéria, espíritos guerreiros como o dela tendem a voltar logo. Uma pena ela não ter feito show na Bahia. Muita luz e respeito a todos."
(Blequimobiu - Versu2)



"Esta foi uma perda grande pro rap brasileiro. Como pessoa, ela foi uma guerreira que passou por várias dificuldades de cabeça erguida. É triste vermos ela partir ainda tão jovem, mas sua mensagem e sua música nunca vão morrer. Lamento muito e espero que Deus cuide dela e conforte seus familiares."
(Alessandro Buzo)



"(...)´Morreu frágil, sem implorar. Feito flor que rasteja, mas que a primavera não pode humilhar.´ Escrevi para minha mãe, mas serve para a Dina Di."
(Sérgio Vaz, via Twitter)



"Ela era não só uma voz feminina dentro do rap, mas a própria voz do rap. Uma guerreira que ajudou o rap a chegar onde está hoje e que encantou muita gente com suas letras. É muito triste perdermos uma poeta das ruas. Desejo muita força à família dela e à família que ela deixou no rap, na qual eu me incluo. Espero que ela esteja bem e, de onde estiver, sei que ela quer que o rap continue e que a gente prossiga levando o rap muito a sério, como ela sempre levou."
(DJ Marco)



"Esta foi uma grande perda pro Hip-Hop. Dina Di foi uma pessoa que contribuiu muito com a cultura de rua, que trouxe uma cara feminina com poesias contundentes, reflexivas, e opinião firme. Graças a ela, as mulheres deixaram de ser coadjuvantes no rap, porque ela foi uma protagonista, uma divisora de águas no rap brasileiro e exemplo pra muita gente. Todos do Pau-de-dá-em-doido lamentam muitíssimo. E que isso sirva de alerta para o Hip-Hop valorizar as pessoas em vida, porque, perto do que ela representou e da importância que teve, o que ela conquistou foi pouco."
(Enézimo)



"Sem sombra de dúvida, Dina Di foi a mulher que mais inspirou as meninas do Hip-Hop a seguirem não só na música, como também no engajamento político, com muita seriedade. Ela vai ser sempre a musa inspiradora de quem faz Hip-Hop de qualidade e com atitude. Esta foi uma perda terrível em um momento em que o Hip-Hop tem que se repensar. Que descanse em paz. E que seus familiares tenham força e fiquem felizes porque conviveram com uma guerreira batalhadora e iluminada, que cumpriu sua missão com muita garra e humildade."
(Markão - DMN)



"Convivi pouco com a Dina Di, mas sei que ela teve uma história de vida difícil, perdeu a mãe de forma trágica e foi uma guerreira, prosseguiu na batalha e venceu. Agora, ela faleceu ao colocar uma filha no mundo. Torço para que essa menina siga os passos da mãe, que seja guerreira como ela, que tenha a mesma determinação e consciência. Lamento muito, mas temos que pensar que a morte é ruim só para quem fica, ela faz parte da vida. Espero que a família da Dina Di seja forte neste momento e entenda que ela fez a parte dela e deve estar em um bom lugar."
(Zulu King Nino Brown - Universal Zulu Nation)



"Uma mulher que superou toda as adversidades da vida. Mesmo com problemas, sempre se mostrou competente com o trampo e estava feliz em ser mãe. Calaram o grito de uma grande guerreira."
(Edd Wheeler)



"Quando eu ouvi falar de Hip-Hop, eu ouvi Dina Di. Achava incrível como uma mulher estava no mesmo nível de equidade que os homens dentro da cultura, com presença e respeito de homens e mulheres, admirei de primeira e foi essa postura que abriu caminho para outras rapperes entrarem nesta cena com respeito. Mulher de raça que amou o Hip-Hop como amou a sua própria vida. Ficamos mas próximas há um ano e comprovei o quão guerreira, verdadeira e extraordinária Dina Di foi e continuará sendo. Eu aqui no Rio de Janeiro, juntamente com todas as outras mulheres guerreiras do Brasil manteremos a memória e o trabalho da Dina Di vivos. E como a Dina gostava de pontuar: É hora de Avançar... Dina Di na Ativa!"
(Re.fem)



"Conheci a Dina Di pessoalmente em 2003. Apesar de estar sempre com a cara fechada em seus sons e videos, ela era uma mulher de bom coração. Em novembro, no Hutuz 2009, foi a última vez que conversei com ela, as expectativas dela para o 2010 eram as melhores possíveis. Infelizmente ela se foi, infelizmente pessoas de bom coração sempre se vão bem cedo. Deixou para todos o seu legado, suas músicas e mostrou que mesmo entre pedras, lama, cascalho, sempre é possível o nascimento de uma flor. Desejo Luz para esta passagem dela e inteligência para as pessoas que ficaram e estarão conduzindo a vida dos menores que ela deixou. Oracões são sempre bem vindas neste momento."
(B.Dog - Rapevolusom)

"Dina Di não foi a primeria mulher a cantar Rap, mas com certeza foi a que mais se destacou. Rompeu barreiras, como mulher, com a música e mostrou para toda uma geração do Rap que uma mulher pode fazer o que imaginar. Teve um vida que daria um filme e foi uma das artistas mais autênticas que conheci. Escrevendo uma letra de Rap, foi um dos maiores talentos que já vi. Apesar da sua habilidade para outros ritmos musicais, sempre apostou e insistiu no Rap. Um exemplo de luta e de um trabalho bem feito, que, infelizmente, se foi quando sua vida finalmente tinha se tornado mais tranquila. Fazer letras como a Viviane é para poucos, sejam homens ou mulheres. Uma perda incomparável para o Rap. Descanse em paz, depois de uma vida de muitas tristezas. Força e Luz para o Thock e sua familia."
(Alexandre de Maio)



Discografia:

Coletâneas

Made In Brazil - Vol. 2 - Visão de Rua - "Confidências de Uma presidiária" (single) - 1995
KL Jay na Batida Vol.2 - "Mente Engatilhada" (single) - 2000
Microfone Aberto - "Dormindo Com o Agressor" (single) - 2004
Mulheres Guerreiras - "Eles Falam de Paz" (single) - 2008


Álbuns
Visão de Rua - Periferia é o Alvo - 1996
Herança do Vício - 1998)
Ruas de Sangue - 2001
A Noiva do Tchok - 2003
O Poder nas Mãos - 2008

fonte http://www.mulheresnohiphop.com.br/