19 de fev de 2010

Vídeo sobre o Prêmio de Hip Hop Preto Ghoéz









O ano começa com boas notícias para o hip-hop. O Prêmio Cultura Hip-Hop 2010, em forma de edital, vai prestigiar128 ganhadores, em todo o Brasil. A premiação é de mais de 1,7 milhão de reais. O edital é uma iniciativa do Ministério da Cultura e as inscrições começam em abril


O Prêmio também é uma homenagem ao rapper ativista Preto Ghoéz, do grupo Clã Nordestino. Ele morreu em 2004 e foi uma das pessoas que lutou pelo hip-hop brasileiro.


O jornalista Alexandre de Maio fez uma reportagem em vídeo explicando todos os detalhes do Prêmio Cultura Hip-Hop 2010. O vídeo traz também o depoimento da esposa de Preto Ghoéz, Edi Rock, Gog, entre outros…



RINHA DOS MCS EM SOROCABA NA BALADA BLACK ENERGY

4 de fev de 2010

Gog grava som com gringos no FSM


gog_forum

Fórum Social Mundial 2010

GOG foi convidado a participar de uma produção musical que reuniu rappers americanos, brasileiros e um rapper de Cuba. Esta ação vem em um momento onde o Hip Hop tem se questionado sobre sua real atuação: militância ou mero entretenimento?


Na intenção de celebrar a grande aliança entre as Américas, o projeto batizado “Hip Hop Sem Fronteiras” conectou GOG de Brasília-DF, os americanos Capital D e Rita J (All Natural – Chicago), Gift of Gab (Blackalicious – San Francisco), Raashan Ahmad (Oakland), o cubano Obsession, além de Don L (Costa a Costa) e Noise D.


A letra escrita em conjunto terá tradução para o Português, Espanhol, Francês e inglês, para que realmente alcance as mais diversas regiões em escala global. O Som foi gravado em um Studio montado num quarto de hotel no centro de Porto Alegre durante o Fórum Social Mundial e a finalização da produção será feita pelos americanos.


Muito em breve todos poderão apreciar essa música global americana. América do Sul, Central e do Norte, aliança revolucionária forte!


Texto: Eduardo Bustamante – Enviado Especial ao FSM

1 de fev de 2010

Prêmio Preto Ghóez foi lançado sexta


ghoez[1]

MinC lança edital para premiar valorização do movimento Hip Hop

O Ministério da Cultura lançou sexta-feira o 1º Edital Prêmio Cultura Hip Hop 2010 – Edição Preto Ghóez, que premiará 128 iniciativas voltadas para a promoção e o fortalecimento da Cultura Hip Hop no Brasil. O lançamento aconteceu no Rio Grande do Sul, durante a realização do 10º Fórum Social Mundial.

O Edital do MinC, viabilizado por meio da Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural (SID), em parceria com a Secretaria de Cidadania Cultural (SCC), o Instituto Empreender e a Ação Educativa, será publicado na primeira semana de abril de 2010 e homenageará o artista, e líder do Movimento, Preto Ghóez, que morreu em 2004, vítima de acidente de carro.

O investimento total será de R$ 1,7 milhão e premiará as iniciativas, realizadas individualmente ou em grupo, divididas em cinco categorias diferentes: Reconhecimento, Socioeducativa (Escola de Rua), Geração de Renda, Difusão/Conhecimento (5° Elemento) e Difusão – Menções Honrosas. A atividade de divulgação do Lançamento do Edital será realizada no Palco Principal.

A partir de março, o MinC e as entidades parceiras informarão por meio de seus sites e de outras ferramentas de comunicação, todos os procedimentos necessários para a participação dos interessados. As inscrições permanecerão abertas durante três meses e os interessados poderão encaminhar suas propostas via internet ou pelo correio.

A Cultura Hip Hop, cujas primeiras manifestações, no Brasil, datam do início dos anos 1980, surgiu nos Estados Unidos da América e, atualmente, pode ser encontrada em todo o território brasileiro, principalmente nas periferias das regiões metropolitanas. Mas o Hip Hop também chegou ao interior do Brasil, marcando presença, por exemplo, em assentamentos e acampamentos rurais, aldeias indígenas e comunidades quilombolas. Com isso, absorveu a diversidade da cultura brasileira, criando uma identidade própria, com múltiplas variações, e tornando-se uma linguagem artística das mais representativas da nossa cultura.

Preto Ghóez, ou Márcio Vicente Góes, nasceu em 8 de outubro de 1971, em São Luis, no Maranhão. Teve uma infância pobre e começou a trabalhar com apenas 10 anos para ajudar a mãe a sustentar a família. Mas a paixão pela música também foi despertada cedo e, em 1993, ele já estava montando a sua primeira banda de Hip Hop, a Habeas Corpus, que, em 1994 passou a se chamar Skina. Em 1996, o artista formou um novo grupo musical. Surgia, então, a Milícia Neo Talmarina que durou até 1998. Neste ano, Preto Ghóez desfez o grupo e criou a Clã Nordestino que gravou um único CD, a Peste Negra do Nordeste, e durou até a sua morte. Além das bandas, Preto Ghóez fundou os Movimentos Hip Hop Organizado Brasileiro (MHHOB), Favelafro, do Maranhão e Questão Ideológica, do Piauí. O artista escreveu ainda o livro A Sociedade do Código de Barras – O Mundo dos Mesmos. Com a banda Clã Nordestino Ghóez percorreu todo o Brasil e também fez shows em países como a Itália e a França.

Fonte: Tribuna do Norte