11 de ago de 2012

Livro será lançado para contar História dos Movimentos Sociais da Região de Sorocaba

Livro reúne informações de movimentos sociais Organizada com o apoio da UFSCar de Sorocaba, obra será lançada com noite de autógrafos. .
. A partir de um encontro, realizado no ano passado, com movimentos sindicais e sociais da região de Sorocaba, articulado por professores e alunos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus Sorocaba, organizou-se o livro “História dos movimentos sociais da região de Sorocaba – origens, conquistas e desafios”. Com 384 páginas, a obra traz informações sobre 25 organizações que participaram do evento, além de textos com relatos dos professores que mediaram o encontro e uma pesquisa realizada na ocasião. Divido por temas, o livro aborda questões relacionadas às Relações de trabalho; Saúde; Educação; Meio ambiente; Cultura e Comunicação; Movimento estudantil e Juventude; Diversidade e Igualdade racial; Luta por moradia e questão fundiária, Direitos humanos e Assistência. O professor Dr. Marcos Francisco Martins, coordenador do encontro e organizador do livro, relata na orelha da publicação que a pretensão vai além do registro. ”Quer se constituir não apenas como fonte primária para pesquisas, mas também como inspiração à luta para construir outra realidade social”, expôs. O professor ressalta ainda, na introdução, o papel da UFSCar nesse processo: “a universidade é uma instituição que deve se apresentar como indutora do desenvolvimento econômico, social, político e cultural”, explica Martins. Com o apoio editorial da Editora Setembro, Departamento de Ciências Humanas e Educação da UFSCar e Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, foram impressos 500 exemplares do livro. Parte deles será distribuída gratuitamente em bibliotecas, escolas públicas da região e faculdades e universidades do estado de São Paulo e outra parte será comercializada por R$ 30,00 o exemplar. São autores da obra os professores e representantes dos movimentos sociais: Adriana Rosmaninho Caldeira de Oliveira (UFSCar); André Cordeiro Alves dos Santos (UFSCar); Carine Goto Hainz, Carolina Duarte e Sérgio Garcia (FLAMAS); Carlos dos Santos Penha (Avante Zumbi); Celso Aparecido Fattori Júnior (ATHUS); Darci Camargo de Mendonça (CNM); Davi Santos Genesi e Lucélia Matilde Ferrari (Grupo de Trabalho Ambiental Jerivá); Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira (UFSCar); Eduardo Alves Santos e Paulo Roberto Soares (Capoeira Nacional); Fábio Ortolano e Rafael Romão Silva (Grupo Mandala); Francine Peres Gonzales Pinto e Vanderlei da Silva (SOS ECO); Geraldo Titotto Filho (Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região); Gisele Leal (MAPHS); Iara Bernadi (PLENU); Jean Marcelo dos Santos Campos (Movimento Estudantil Domínio Público); José Augusto Rodrigues de Moraes (CORESO); José Edson de Oliveira (SINDIQUINZE); José Marcos Müller Demoro (COESO); Kelen Christina Leite (UFSCar); Leandro de Campos Fonseca e Lucio Costa (SinPsi); Márcio Brown, Érika Francine e Deivison Nkosi (Ação Periférica); Marcos Francisco Martins (UFSCar); Marcos Roberto Vieira Garcia (UFSCar); Mariana Martha de Cerqueira Silva (Centro Cultural Quilombinho); Marta Maria Meirelles e Vilma Lúcia Carmona Gonçalves (Pode Crer); Miriam Yasuda (Clube do Nais); Regina Medeiros e Vanderlei da Silva (UNIONG); Renata Braga (Culturama); Rita de Cássia Gonçalves Viana (CEADEC); Rosalina Burgos (UFSCar); Tânia Mara de Almeida Padilha (Apeoesp); Teresa Mary Pires de Castro Melo (UFSCar); Viviane Melo de Mendonça (UFSCar) e Werinton Kermes e Luciana Lopez (Associação Cultura Votorantim). A apresentação é de Luís Antonio Groppo (Unisal) e a organização de Marcos Francisco Martins (UFSCar). O evento de lançamento acontecerá em 31/08, sexta-feira, a partir das 19h30, no Núcleo ETC da UFSCar; localizado na rua Maria Cinto de Biaggi, 130, Bairro Santa Rosália, Sorocaba. Representantes da universidade e dos movimentos irão apresentar a obra e em seguida os autores ficarão à disposição para autógrafos. Atividades culturais e apresentação musical da cantora Mônica Albuquerque animarão a sessão. A entrada é gratuita. Serviço: Lançamento e noite de autógrafos do livro: “História dos movimentos sociais da região de Sorocaba – origens, conquistas e desafios”. Data: 31/08/2012, sexta-feira Horário: 19h30 Local: Núcleo ETC da UFSCar Endereço: Rua Maria Cinto de Biaggi, 130, bairro Santa Rosália, Sorocaba/SP. Entrada Gratuita Contato para a imprensa: Prof. Marcos Francisco Martins (19) 9601-0390.

27 de abr de 2012

2ª SEMANA DE CULTURA E ARTE NEGRA DE SOROCABA ACONTECE DE 11 A 15 DE MAIO DIA 11 ESPECIAL PROGRAMAÇÃO DA CULTURA REGGAE EM TRIBUTO A BOB MARLEY DIA 12 TROCANDO IDÉIA HIP HOP SOBRE SEMANA DO HIP HOP E COM GRAFFITI, DJS, RAP AO VIVO E RODA DE BREAKING DIA 13 ESPECIAL CAPOEIRA EMBOSCADA APRESENTA A PEÇA TEATRAL A FUGA DE ZUMBI DIA 14 LECI BRANDÃO E O DEBATE DO MAIS CULTURA E FECHANDO DIA 15 DE MAIO COM CASSIANO MORAES E FONTE DO SAMBA - ENTRADA FRANCA - PARTICIPE E PRESTIGIE A CULTURA E ARTE NEGRA NO CLUBE 28 DE SETEMBRO - RUA MACHADO DE ASSIS, 112 CENTRO - SOROCABA - ATRAS DA OFICINA CULTURAL GRANDE OTELO INFORMAÇÕES 15. 3031.3679 Este evento é aberto ao público, sem fins lucrativos, cuja missão é desenvolver o debate e reflexão sobre o mês da Abolição, onde teremos exposições, palestras, apresentações artísticas de música, dança, teatro, literatura, cinema e homenagens com a temática Afro-brasileira, em foco.

23 de jan de 2012

Nasce em Porto Feliz o COLETIVO DE ARTE E CULTURA ZUNGÚ ARIFÁ ASÉ.

Comfiram abaixo o Manifesto de Criação do Coletivo de Arte e Cultura Zungú Arifá Asé:


.PELA SOBREVIVÊNCIA DA VERDADEIRA CULTURA!

Declaração de princípios do Coletivo de Arte e Cultura ZUNGÚ ARIFÁ ASÉ

Nasce em 14 de dezembro de 2011, o Coletivo de Arte e Cultura Zungú Arifá Asé.
O Coletivo tem como meta a disseminação, preservação e produção de conteúdo cultural, fundamentado nos princípios da Matriz Africana da oralidade e do Matriarcado, valorizando a figura feminina que representa a Força Geradora no mundo.
Esse Coletivo se levanta por direitos humanos não só para negros, mas para todas as etnias. Repudiamos qualquer forma de preconceito, discriminação ou racismo.

Pregamos a "Sobrevivência Sustentável", pois acreditamos ser possível co-existir pacificamente, nós, seres humanos e o Planeta Terra. Acreditamos ser possível interagir nesse mundo consumista com responsabilidade, controlando a produção de lixo e reaproveitando tudo que o senso comum julga desacartável ou inútil. Inclusive seres Humanos.

O Coletivo não visa a criação, fundação ou filiação de nenhuma seita, religião de de nenhum credo espiritual. Não buscamos a construção de igrejas ou templos. Muito menos estaremos ligados à fundação ou adesão de nenhum partido político. Mas defendemos a liberdade de qualquer Membro Zungú de participar ou defender quaisquer dessas instituições, a partir de seus princípios próprios e não do Coletivo.

Como cidadãos brasileiros, exigimos que as autoridades e a sociedade em geral se voltem para o que pensamos, necessitamos, produzimos.

Não nos sentimos representados na grande mídia. Não nos sentimos representados nas revistas e nos jornais. Não nos sentimos representados pelo Poder Público, nem por nenhuma entidade ou conselho existente. Não reconhecemos esse sistema educacional Eurocentrista estabelecido. Por isso estamos trabalhando. Para construção de um espaço onde possamos ouvir e sermos ouvidos, vermos e sermos vistos.

Não viemos para ser situação e nem oposição. Não viemos para ser carne e nem navalha. Não declaramos guerra e nem morremos de amores por nada do que está estabelecido. Viemos para dar voz ao anônimos, os Heróis do anonimato que travam a batalha de manter algo milenar vivo, ou de dar vida a algo novo.

COLETIVO DE ARTE E CULTURA
"ZUNGÚ ARIFÁ ASÉ"