25 de ago de 2010

O Rapper MV Bill confirma participação no seriado "Malhação", da Globo



"Ao aceitar o convite, pensei que pudesse estar ajudando a modificar um formato do qual sempre discordei. Sempre critiquei as novelas, mas também me coloquei aberto a dialogar. Vi que havia uma disposição da Globo para mudar as coisas, estar mais próximo das pessoas que vivem no meu mundo. Não participar de algo que sempre quis mudar seria uma contradição", diz MV Bill sobre sua participação no seriado Malhação, da Rede Globo. O rapper será Antônio, um professor de matemática flexível com os alunos e linha duríssima com a filha Júlia (Dandara de Morais), num contexto em que se falará sobre periferia, romances inter-raciais e bolsas estudantis.


Em sua vida particular, MV Bill continua morando na Cidade de Deus e é lá que ele dá suas entrevistas. O dinheiro que entrou após a fama é destinado aos projetos sociais, ao selo próprio, aos documentários e até a uma grife – ele vende, pela internet, roupas e acessórios.


Fonte: Jornal Zero Hora

10 de ago de 2010

A Rima Denuncia, primeiro livro de GOG, terá 48 letras



Está previsto para os próximos dias o lançamento do livro A Rima Denuncia, primeira incursão do rapper GOG pela literatura. Organizada com a ajuda do professor de literatura Nelson Maca, do coletivo Blackitude (Bahia), a obra terá 48 letras de autoria de GOG, que também é conhecido como O Poeta - e tido como um dos melhores letristas do rap brasileiro.


"No livro, as letras terão breves relatos e explicações sobre quando e como surgiram as ideias, além de como as músicas foram gravadas e quem participou de cada um desses momentos. São 48 letras, de diferentes momentos da minha carreira", adianta GOG, que, desde 1992, já lançou nove álbuns e um DVD. "Futuramente, também quero lançar um trabalho de caráter mais didático, que possa mostrar que as rimas do rap também têm critérios técnicos, que têm fundamento literário."


No momento, além de preparar-se para o lançamento de A Rima Denuncia, GOG também trabalha nas composições de seu 10º álbum, para o qual tem solicitado sugestões de temas aos fãs, através da internet. Pelo seu perfil no Twitter, o Poeta já adiantou os nomes de pelo menos seis músicas que deverão fazer parte do novo trabalho, previsto para ser lançado no dia 20 de novembro - Dia Nacional da Consciência Negra: "África tática", "O grande dia", "O circo", "Novos ventos", "Aos 45" e "Dia D".


[+] Acesse o MySpace de GOG
[+] Siga GOG no Twitter
[+] Assista ao clipe de "Brasil com P", do DVD Cartão Postal Bomba

8 de ago de 2010

Wyclef pode se tornar o primeiro rapper presidente do Haiti



Pela Web: Wyclef Jean confirma candidatura a presidente do Haiti


Wyclef pode se tornar o primeiro rapper presidente

Seis anos depois de lançar a música "If I was president", em que brincava com a suposição de tornar-se presidente da República (no caso, dos EUA), o músico haitiano Wyclef Jean anunciou, nesta quinta-feira (5/8), que é candidato à Presidência do Haiti. Ele disputará as eleições do dia 28 de novembro pelo partido Viv Ansanm ("Viver Juntos").


Se for eleito, Wyclef entrará para a história como o primeiro rapper a assumir a Presidência de seu país. Revelado com o grupo de rap Fugees (do qual também saiu a diva Lauryn Hill), o MC multi-instrumentista obteve êxito musical fundindo seu rap a outros gêneros diversos, como jazz, soul, reggae, rock e até ritmos caribenhos e samba. Já lançou seis álbuns solo, além de dois com o Fugees. Apesar de gozar de popularidade mundial, o músico deverá enfrentar algumas críticas por não viver permanentemente no Haiti há mais de 30 anos. Nascido em 1972 na cidade de Croix-des-Bouquets, ele emigrou para os EUA aos nove anos de idade e foi criado no Brooklyn, em Nova York.


Em alguns versos da curiosa música "If I was president", de 2004, Wyclef canta: "(...) instead of spendind billions on the war, we can use some of that money, in the ghetto" (algo como "(...) ao invés de gastar bilhões com a guerra, podemos usar um pouco desse dinheiro no gueto"). Já no refrão da música, Wyclef diz: "If I was president, I´d get elected on Friday, assassinated on Saturday, and buried on Sunday" ("Se eu fosse presidente, seria eleito na sexta-feira, assassinado no sábado e enterrado no domingo").


[+] Veja o vídeo em que Wyclef se lança candidato
[+] Assista ao clipe de "If I was president" (2004)
[+] Acesse o site oficial de Wyclef Jean
[+] Siga Wyclef Jean no Twitter